Coreia do Norte pede reconciliação à Coreia do Sul

Militares sul-coreanos. Foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Soldados sul-coreanos em breve participarão de exercício com os Estados Unidos

A Coreia do Norte escreveu uma carta aberta endereçada à Coreia do Sul pedindo uma reconciliação e o fim de atos militares hostis.

A carta foi divulgada pela imprensa estatal norte-coreana. A Coreia do Sul minimizou o conteúdo da carta, dizendo que o país vizinho tem uma "agenda oculta".

Ela vem algumas semanas antes da realização de exercícios militares conjuntos da Coreia do Sul com os Estados Unidos.

Manobras militares costumam gerar tensões na península coreana. No ano passado, um exercício conhecido como "Foal Eagle" também provocou uma escalada na retórica dos dois países. A Coreia do Norte chegou a ameaçar com um ataque nuclear.

"O que é importante no estabelecimento de uma larga avenida para reparar as relações Norte-Sul é tomar uma decisão corajosa de dar fim a todos os atos militares hostis, que são o maior obstáculo que gera desconfiança e confronto", diz a carta da Comissão Nacional de Defesa da Coreia do Norte.

"A República da Coreia do Norte já optou de forma unilateral por interromper todos os atos de irritar e caluniar a Coreia do Sul."

"Lamentavelmente, as autoridades sul-coreanas continuam sem mudanças nas suas atitudes impróprias e posições negativas."

O porta-voz do ministério da Defesa da Coreia do Sul, Wi Yong-seop, disse que "a tática militar mais importante é descobrir qual é a agenda oculta do Norte".

Ele atribui as tensões na península à "provocação militar da Coreia do Norte".

Na semana passada, a Coreia do Norte havia sugerido a interrupção do exercício americano e sul-coreano.

Notícias relacionadas