Pela TV, Putin abre caminho para incorporação da Crimeia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin disse, durante um pronunciamento transmitido ao vivo pela TV, que a Crimeia "sempre fez parte da Rússia" e que o referendo no qual os eleitores da região votaram pela anexação da área à Rússia foi a correção de uma "injustiça histórica".

Os comentários do mandatário russo se deram pouco após Putin ter assinado, juntamente com líderes da Crimeia, um tratado que estabeleceria a incorporação da península à Rússia.

A Crimeia foi tomada por forças pró-Rússia no final de fevereiro após a deposição do então presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, que era um forte aliado de Moscou.

Na segunda-feira, a região autônoma da Ucrânia se declarou independente do país, após cerca de 97% dos eleitores que votaram em um referendo realizado no final de semana terem optado pela separação e pela anexação da região pela Ucrânia.

O governo da Ucrânia disse que jamais aceitará o resultado do tratado e pediu uma reunião de emergência do G7 e da União Europeia na semana que vem em Haia, na Holanda.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em um pronunciamento na Polônia, afirmou que o envolvimento russo na Crimeia foi "uma incursão militar gritante" e que a anexação do território "não passou de uma apropriação de terra".

Retaliação

A Alemanha e a França condenaram o tratado entre a Rússia e a Crimeia assim que ele foi divulgado. A Grã-Bretanha anunciou que estava suspendendo atos de cooperação bilateral militar com a Rússia.

A União Europeia e os Estados Unidos já haviam se pronunciado contra o referendo na Crimeia, qualificando-o como ilegal. Autoridades americanas e do bloco europeu declararam ainda o congelamento de bens e o veto a concessão de vistos de políticos russos e da Crimeia.

O pronunciamento de Putin foi realizado perante as duas casas do Parlamento russo, a Duma, a Câmara baixa, com 450 membros, e o Conselho da Federação, a Câmara baixa, com 166 membros, e também contou com a presença dos novos líderes da Crimeia.

Em seu discurso, Putin afirmou: "Nos corações e mentes do povo, a Crimeia foi e permanece sendo uma parte inseparável da Rússia".

De acordo com o líder russo, os resultados do referendo foram "mais do que convincentes".

"O povo da Crimeia, de forma clara e convincente, expressou sua vontade. Eles querem fazer parte da Rússia", afirmou. E ainda acrescentou que não estavam mais preparados para arcar com a "injustiça histórica" de fazer parte da Ucrânia.

A Crimeia foi parte da Rússia até 1954, quando o líder soviético Nikita Khrushchev, decidiu devolvê-la à Ucrânia.

Cerca de 58% dos habitantes da península são de etnia russa. Os demais moradores da região são, em sua maioria, ucranianos e há ainda uma minoria tártara.

Notícias relacionadas