Papas João Paulo 2º e João 23 são canonizados no Vaticano

  • 27 abril 2014
Papa Francisco no domingo. Foto: Getty Images Direito de imagem GETTY IMAGES
Image caption Papa Francisco conduziu a missa de canonização dos dois papas neste domingo

Rodeado por uma multidão de milhares de fiéis que lotaram a praça de São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco canonizou neste domingo os papas João Paulo 2º (1920-2005) e João 23 (1881-1958).

A partir de agora, eles serão conhecidos não mais como papas, mas como São João Paulo 2º e São João 23, ambos santos da Igreja Católica.

A cerimônia de canonização, que contou com a presença do papa emérito Bento 16, começou pouco antes das 10h (5h de Brasília) e durou pouco mais de 20 minutos.

Como previsto no livro litúrgico, a celebração teve início com cânticos e uma oração coletiva em que foram invocados os nomes de vários santos.

Em seguida, o cardeal italiano Angelo Amato, responsável pela Congregação para as Causas dos Santos – o "ministério" da Santa Sé encarregado dos processos de canonização – solicitou ao Sumo Pontífice que declare santos os dois candidatos.

Francisco respondeu com uma frase padrão em latim ao final da qual disse "Eu os ordeno".

A partir deste momento, o polonês Karol Wojtyla e o italiano Angelo Roncalli se tornaram, oficialmente, santos da Igreja Católica.

Direito de imagem AP
Image caption Vários fiéis puderam ver a santificação por cinema 3D, como em Bergamo, na Itália

Em seguida, as relíquias dos dois papas – um frasco contendo sangue de João Paulo 2º e outro com pedaço de pele retirada de João 23 no ano de 2000, quando seu corpo foi exumado para a beatificação – foram exibidas ao público.

Concluído o rito de canonização, uma missa foi celebrada por Francisco.

Cinema 3D

Cerca de um milhão de pessoas eram esperadas pelo evento, mas autoridades de Roma acreditam que o número final possa ter chegado a cinco milhões.

Telões foram montados pela Prefeitura de Roma em quatro pontos da cidade para que os fiéis possam assistir ao evento.

Além do ineditismo do evento – nunca dois pontífices foram santificados ao mesmo tempo – a Santa Sé também fez, pela primeira vez na história, uma transmissão em 3D pela TV e pela Internet, de olho no público jovem.

Direito de imagem AP
Image caption Milhões de pessoas compareceram ao Vaticano para a cerimônia

Estima-se que cerca de 2 bilhões de pessoas assistiram ao vivo à celebração em todo o mundo, que também foi transmitida em salas de cinema, inclusive no Brasil.

O Vaticano lançou ainda uma ofensiva nas redes sociais, com a criação de um site especial para a dupla canonização, de uma página no Facebook e até aplicativos em dispositivos móveis, para celulares e tablets.

As amigas Rita Maria Pozzolo, 58, Luciana Costenaro, 34, e Neuza Maria Viganor, 57, do Paraná e de Santa Catarina, vieram em uma excursão para Roma com outros 30 brasileiros para a dupla canonização.

"Para nós, é uma benção muito grande estar aqui. Eu mesma, há 12 anos, estive em uma missa aqui no Vaticano com João Paulo 2º. Vê-lo santificado hoje é definitivamente um presente de Deus", disse à BBC Brasil Neuza Maria Viganor.

Direito de imagem LUIS BARRUCHO
Image caption Rita Maria Pozzolo, Luciana Costenaro, e Neuza Maria Viganor vieram do PR e SC para a missa

Dois papas

Conhecido como o "Papa Bom", João 23 comandou a Igreja Católica entre 1958 e 1963. Nesse período, convocou e deu início ao Concílio Vaticano 2º, uma série de conferências que resultou em documentos sobre os novos rumos da Igreja Católica, com o intuito de aproximá-la do povo e adaptá-la à modernidade.

Talvez mais popular entre os peregrinos, João Paulo 2º ascendeu ao Trono de Pedro em 1978 e lá permaneceu até 2005, quando morreu. Foi o segundo papado mais longo da história e sua canonização foi a mais rápida da história moderna da Igreja.

Direito de imagem AFP
Image caption Canonização de São João Paulo 2 foi a mais rápida da história do Vaticano

Segundo vaticanistas ouvidos pela BBC Brasil, a decisão de Francisco de canonizar os dois papas em um único dia seria uma tentativa de preencher o abismo entre duas alas opostas da Santa Sé: os "tradicionalistas", representados por João Paulo 2º, e os "reformistas", seguidores de João 23.

Grandes dimensões

Participaram da dupla canonização cerca de 150 cardeais e bispos e 6 mil padres. O Vaticano divulgou uma lista oficial com autoridades internacionais de 93 países, incluindo 24 chefes de Estado. Nenhum nome do governo brasileiro aparece até agora na compilação.

O único brasileiro é José Graziano da Silva, que, no entanto, representa a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), órgão ligado à ONU sediado em Roma que ele comanda desde janeiro de 2012.

Para atender aos milhares de fiéis que vão lotar a Praça de São Pedro, o Vaticano e a Prefeitura de Roma mobilizaram mais de 2,4 mil policiais, 100 ambulâncias e 2,5 mil voluntários, encarregados de distribuir 4 milhões de garrafas de água e 150 mil livros litúrgicos para que os fiéis pudessem acompanhar o passo-a-passo da cerimônia.

Notícias relacionadas