Com morte na Arena Pantanal, um terço dos estádios da Copa têm fatalidades

  • 8 maio 2014
Arena Pantanal (AFP)
Operário morto trabalhava no acabamento elétrico do estádio de Cuiabá, que está 98% concluído

Um operário que trabalhava na Arena Pantanal, palco dos jogos da Copa do Mundo em Cuiabá, morreu nesta quinta-feira depois de levar uma descarga elétrica, elevando o número de operários que já morreram na construção das arenas da Copa para nove.

O operário Mohammad Ali Maciel Afonso, de 32 anos, foi atingido pela descarga elétrica quando instalava uma luminária em um corredor.

Com isso, o número de estádios da Copa que já registraram alguma fatalidade em sua construção subiu para quatro - ou um terço dos 12 que receberão o torneio.

Só uma das mortes, na Arena Amazônia, não foi acidental. Acredita-se que o operário tenha sido vítima de um infarto.

O estádio de Manaus ainda teve três acidentes com fatalidades, assim como a Arena Corinthians, em São Paulo. Um outro operário morreu nas obras do Estádio Nacional, em Brasília.

Acabamento elétrico

Afonso fazia o acabamento elétrico no estádio de Cuiabá como funcionário da empresa Etel, que integra o consórcio a cargo das telecomunicações da Arena Pantanal.

Ele chegou a ser atendido por uma equipe de emergência e faleceu antes de ser levado para o hospital.

O secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, lamentou o ocorrido pelo Twitter: "Meu pensamentos estão com a família e os amigos de Mohammad".

Uma perícia técnica foi feita no local do acidente. Seu resultado determinará o impacto do acidente sobre as obras da arena, que está 98% concluída.

Notícias relacionadas