Promotor Carlos Eduardo Silva | Foto: Camilla Costa/BBC Brasil
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

'Foi um erro abrir tantas obras em Cuiabá'

A decisão de abrir dezenas de frentes de trabalho simultâneas para as obras das Copa do Mundo em Cuiabá criou problemas para a administração local e dificultou o planejamento e acompanhamento dos projetos, de acordo com o promotor de Justiça Carlos Eduardo Silva.

Direito de imagem BBC Brasil
Image caption Até a Copa do Mundo, governo entrega cerca de 30% das obras prometidas em Cuiabá

O promotor faz parte do grupo especial de acompanhamento das obras da Copa, criado pelo Ministério Público de Mato Grosso.

Em entrevista à BBC Brasil, ele afirmou que opções políticas determinaram a promessa de mais de 50 obras de mobilidade urbana, que deveriam ser entregues até o Mundial. Até o momento, cerca de 35% das construções foram finalizadas.

O secretário extraordinário da Copa no Mato Grosso, Maurício Guimarães, diz que Cuiabá aproveitou o momento para se beneficiar de projetos abrangentes de mobilidade urbana, depois de 30 anos sem investimento em infraestrutura.

Leia mais: Dias antes do 1º jogo, Cuiabá aposta em legado pós-Copa