Quem são os insurgentes sunitas em ascensão no Iraque?

AFP Direito de imagem BBC World Service
Image caption O Levante afirma ter muitos jihadistas estrangeiros entre seus combatentes

O Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIS, na sigla em inglês) é um grupo jihadista que age no Iraque e na Síria.

O Levante foi formado em abril de 2013 e surgiu a partir da Al-Qaeda do Iraque. Desde então, o grupo se tronou dissidente e se transformou em um dos principais grupos jihadistas, enfrentando as forças do governo na Síria e obtendo vitórias militares no Iraque.

O último S da sigla em inglês do grupo está relacionada à palavra em árabe "al-Sham". Isto pode significar o Levante, Síria ou mesmo Damasco, mas no contexto da jihad global, se refere a Levante.

O tamanho exato deste grupo não está claro mas acredita-se que tenha milhares de membros, incluindo muitos estrangeiros. Correspondentes afirmam que o grupo pode estar passando à frente da Al-Qaeda e sendo considerado o mais perigoso grupo jihadista do mundo.

A organização é liderada por Abu Bakr al-Baghdadi. Pouco se sabe sobre ele, mas acredita-se que ele nasceu em Samarra, norte de Bagdá, em 1971, e se juntou à rebelião que começou a surgir no Iraque logo depois da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003.

Em 2010 ele chegou à liderança da Al-Qaeda no Iraque, um dos grupos que se transformou, depois, no Levante.

Baghdadi é visto como um comandante de campo de batalha e um estrategista o que, segundo analistas, faz o grupo ser mais atraente para jovens jihadistas em comparação à Al-Qaeda, que é liderada por Ayman al-Zawahiri, um teólogo islâmico.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Rara imagem de Baghdadi divulgada pelo Ministério do Interior do Iraque

Peter Neumann, professor do King's College de Londres estima que cerca de 80% dos combatentes ocidentais na Síria se juntaram ao grupo.

Já o Levante afirma ter combatentes da Grã-Bretanha, França, Alemanha e outros países europeus, além de membros dos Estados Unidos, outros países árabes e países da região do Cáucaso.

Mas, ao contrário dos outros grupos rebeldes na Síria, o Levante parece estar trabalhando para a implantação de um emirado islâmico que abrange a Síria e o Iraque.

O grupo também já conseguiu vitórias militares consideráveis. Em março de 2013 tomou a cidade síria de Raqqa, a primeira capital de província que ficou sob controle de rebeldes.

Em janeiro de 2014, aproveitou a crescente tensão entre a minoria sunita iraquiana e o governo liderado pelos xiitas ao tomar o controle da cidade de Fallujah, que é predominantemente sunita e fica na província de Anbar, no oeste do país.

O grupo também tomou controle de grandes áreas da capital da província, Ramadi, e está presente em várias cidades perto das fronteiras com a Turquia e a Síria.

Brutalidade

Direito de imagem BBC World Service
Image caption As forças de segurança do Iraque fugiram de Mosul depois do avanço do Levante

Nas áreas sob seu controle o grupo também ganhou a reputação de brutalidade. E, quando conquistou a cidade de Mosul, em junho, o Levante gerou repercussão internacional.

Os Estados Unidos disseram que a queda da segunda maior cidade do Iraque frente ao Levante é uma ameaça a toda a região.

O grupo tem operado de forma independente em relação a outros grupos jihadistas na Síria, como a Frente al-Nusra, a afiliada oficial da Al-Qaeda no país, e também tem relações tensas com outros rebeldes.

Baghdadi tentou juntar o Levante com o al-Nusra, mas al-Nusra rejeitou a proposta e os dois grupos operam separadamente desde então.

O líder da Al-Qaeda no Iraque, Ayman al-Zawahiri pediu que o Levante concentrasse suas atividades no Iraque e deixasse a Síria para o al-Nusra, mas Baghdadi desafiaram abertamente o líder da Al-Qaeda.

E a hostilidade em relação ao Levante aumentou muito na Síria, pois o grupo ataca regularmente outros rebeldes e maltrata os civis que apoiam os grupos de oposição ao governo do país.

Em janeiro de 2014, rebeldes apoiados por países ocidentais e grupos islamistas lançaram uma ofensiva contra o Levante, tentando expulsar seus combatentes da Síria.

Milhares de pessoas teriam sido mortas nestes combates.

Notícias relacionadas