Em Fortaleza, é possível pedir 2ª via de ingresso roubado antes do jogo

Terminal de ingressos em Salvador (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Torcedor poderá reimprimir seus ingressos em Fortaleza, não em outras sedes

Torcedores que perderem ou tiverem furtado o seu ingresso para o jogo da seleção em Fortaleza, nesta sexta-feira, poderão reimprimír a entrada, na única cidade da Copa onde isso é possível atualmente.

A decisão liminar foi confirmada pela Justiça Federal no Ceará na noite da quinta-feira. Por ora, ela só vale para os jogos no Castelão. A Fifa ainda pode recorrer.

A decisão pode evitar a decepção em casos como o do publicitário Lucas Santos Carlos, 26, que já havia mostrado seu ingresso em três barreiras da Polícia Militar nas proximidades do Mineirão, em Belo Horizonte, no sábado, quando descobriu que seu ingresso havia sido furtado.

Ele contou à BBC Brasil que faltava passar por apenas uma barreira para assistir ao jogo entre Brasil e Chile pelas oitavas de final.

Seguindo orientações da segurança, Lucas correu até a delegacia e fez o registro da ocorrência. Quando voltou ao estádio, soube que alguém já tinha tentado usar sua entrada, sem sucesso. Mas a Fifa se recusou a reimprimir o ingresso.

Resultado: o ladrão não entrou, e Lucas também não. A cadeira ficou vazia.

"Fiquei acordado várias madrugadas para comprar o ingresso, fui de carro do Rio de Janeiro para Minas e não consegui ver o jogo. Foi frustrante, já que o ingresso nominal visa justamente à proteção do comprador", afirmou.

Proteção ao torcedor

Se a partida tivesse sido em Fortaleza, o final da história teria sido mais feliz. Desde sexta-feira, uma liminar da Justiça estadual do Ceará obriga a Fifa a reimprimir ingressos roubados, furtados ou perdidos no dia dos jogos no Castelão.

"Muitas pessoas vêm de longe, para realizar um sonho, e é uma comoção quando não conseguem entrar", disse o defensor público Régis Pinheiro, responsável pela ação na Justiça estadual.

Segundo ele, como os ingressos são nominais, a Fifa deveria pedir a identidade do torcedor para verificar se ele é o dono legítimo das entradas.

À Justiça, a Fifa argumentou que reimprimiu ingressos nos primeiros jogos do Mundial, mas que houve tentativas de fraude.

Disse também que a reimpressão poderia ser feita até um dia antes da partida, mas que, na hora do jogo, havia problemas logísticos para isso.

Direito de imagem Reuters
Image caption Alegria de obter uma entrada para a Copa é proporcional à tristeza de perdê-la

A desembargadora Maria Vilauba Fausto Lopes, do Tribunal de Justiça do Ceará, não aceitou o argumento, baseando-se no fato de que poucas pessoas pedem a reimpressão.

"Os dados comprovam serem ínfimos os registros dessa natureza, possibilitando que a Fifa identifique se a reclamação procede ou não, pois dispõe de infraestrutura e controle na comercialização dos ingressos", afirmou na decisão.

No último jogo realizado no Castelão, entre México e Holanda, 14 pessoas conseguiram reimprimir seus ingressos, segundo o defensor.

O que fazer

Quem tiver problemas com seus ingressos no jogo entre Brasil e Colômbia pode procurar o Juizado do Torcedor, que fica dentro do estádio, próximo a uma delegacia onde é feito o registro policial.

Depois disso, de acordo com a Defensoria, basta pedir à Fifa a reimpressão do ingresso.

Se a Fifa não cumprir a determinação da Justiça, terá que pagar multa de R$ 5 mil por cada um.

Notícias relacionadas