Quatro curiosidades sobre os duelos das quartas de final

Neymar e James Rodríguez, destaques de Brasil e Colômbia Direito de imagem BBC World Service
Image caption Neymar e James, aos 22 anos e com a camisa 10, são os artilheiros de Brasil e Colômbia

As quartas de final da Copa do Mundo serão disputadas sexta-feira e sábado e definirão os quatro semifinalistas do torneio, únicos a terem o privilégio de jogar sete partidas e ficar na festa até o último final de semana do Mundial.

São quatro seleções da América e quatro da Europa e, em razão do cruzamento, algumas coisas já estão definidas para as semifinais.

O confronto entre Brasil x Colômbia já garante um sul-americano na próxima fase; assegura, também, um duelo entre os continentes, já que o vencedor pega quem passar de França x Alemanha.

Já Holanda x Costa Rica colocará uma equipe sem títulos nas semifinais. O rival sairá de Argentina x Bélgica.

Veja algumas curiosidades sobre os duelos das quartas de final da Copa:

Jogão em Sevilha

Direito de imagem AFP
Image caption Schumacher, goleiro alemão, se choca com Battiston, da França: jogo dramático em 82

O duelo entre França e Alemanha, às 13h desta sexta-feira no Rio de Janeiro, é o quarto das seleções na história das Copas, com duas vitórias alemãs e uma francesa até aqui.

O segundo desses jogos, a semifinal da Copa do Mundo 1982 em Sevilha, é considerado um dos melhores da história dos Mundiais, com quatro gols na prorrogação.

Após o empate por 1 a 1 no tempo normal, gols de Littbarski (ALE) e Platini (FRA), Trésor e Giresse colocaram a França na frente no tempo extra. Mas Rummenigge e Klaus Fischer conseguiram empatar e conduzir a Alemanha rumo à vitória na disputa por pênaltis.

Quatro anos depois, em 1986, novamente deu Alemanha. O retrospecto em Mundiais aponta para um duelo de muitos gols entre as seleções: foram 17 gols nos três jogos, quase seis por partida.

Pênalti bizarro de Neymar

Direito de imagem Getty
Image caption Neymar fez um golaço, mas depois bateu um pênalti de forma impressionante nos EUA

Brasileiros e colombianos têm protagonizados jogos muito equilibrados nos últimos anos, acumulando quatro empates nos últimos quatro jogos. O mais recente deles contou com duelos pessoais que serão repetidos nesta sexta-feira, às 17h, em Forlaleza.

No jogo disputado nos Estados Unidos em novembro de 2012, a equipe brasileira teve sete jogadores que estão no atual grupo e sofreu com algumas investidas de rivais de agora: após passe de James Rodríguez, Cuadrado abriu o placar para os colombianos.

No segundo tempo, Neymar fez bela jogada individual e chutou colocado, no canto de Ospina, para marcar diante do goleiro que agora enfrenta na Copa. Na sequência, o atual camisa 10 brasileiro protagonizou o lance mais bizarro de sua trajetória na seleção brasileira.

Restando menos de dez minutos para o final do jogo, Daniel Alves sofreu pênalti e Neymar foi para a bola. Seria a virada, mas o então jogador do Santos pegou mal na bola e bateu muito, mas muito por cima do gol. O chute impressionante foi parar na arquibancada e virou piada da torcida colombiana.

O melhor Maradona

Direito de imagem Getty
Image caption Em 1986, Maradona marcou cinco gols, decidiu vários jogos e brilhou contra a Bélgica

Os dois gols mais famosos de Diego Maradona na Copa de 1986 são aqueles que ele fez na vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra. Um com a mão, conhecido como "La Mano de Dios", e outro carregando e bola por todo o campo e passando por seis ingleses, para muitos o "Gol do Século".

Mas, para muitos também, o jogo que mostra o melhor Maradona naquela fase incrível do camisa 10 argentino é o seguinte, três dias depois, frente à Bélgica, rival deste sábado, às 13h, em Brasília.

Novamente com dois gols, o craque colocou a Argentina na final da Copa primeiro com um toque dentro da área após receber lançamento e sair de frente para o goleiro; depois, driblando toda a defesa e marcando um golaço.

Se a Argentina seria bicampeã do mundo, para a Bélgica sobrou tempo para mais uma derrota. Na disputa pelo terceiro lugar, caiu para a França na prorrogação.

24 anos depois

Direito de imagem ALL SPORTGetty
Image caption A Holanda, na Copa de 1990, fracassou ao tentar chegar nas quartas de final do Mundial

Um jogo de quartas de final entre Holanda e Costa Rica já poderia ter acontecido em Copas do Mundo há 24 anos, na Itália, mas ambas foram eliminadas no jogo que as levaria a um duelo em Milão. Acontece agora, sábado, às 17h, em Salvador.

Os costa-riquenhos, na melhor campanha da história do país até então, venceram Escócia e Suécia na primeira fase do Mundial de 1990 e avançaram às oitavas para pegar a Tchecoslováquia. Jogando em Bari, o time da América Central levou 4 a 1 do rival europeu.

A Holanda sofreu mais na fase inicial e avançou às oitavas com três pontos após três empates contra Inglaterra, Irlanda e Egito. Na segunda fase encontrou com a Alemanha e perdeu por 2 a 1.

Com o Holanda x Costa Rica frustrado, a Alemanha venceu a Tchecoslováquia por 1 a 0 e caminhou até o título, o terceiro alemão na história, ao vencer a Argentina na final em Roma.

Notícias relacionadas