'James pode me superar', diz Valderrama

Carlos Valderrama, ex-jogador de futebol colombiano | Crédito: Montagem/BBC Brasil Direito de imagem Getty
Image caption Valderrama diz que seleção atual é a melhor da história colombiana

Considerado por muitos o maior jogador do futebol colombiano de todos os tempos, Carlos Valderrama já não ostenta a vasta cabeleireira loira que lhe rendeu fama dentro e fora de campo. A silhueta também não é a mesma da época em que El Pibe, como era popularmente conhecido, encantava torcedores com sua técnica e passes certeiros.

Mas a maturidade trouxe ao lendário jogador, hoje com 52 anos, a capacidade de analisar o desempenho de seus conterrâneos com maior frieza.

Em entrevista à BBC, ele diz acreditar que o meia Jaime Rodríguez, sensação da atual equipe comandada por José Pékerman e herdeiro de sua camisa 10, pode roubar-lhe a coroa. Atualmente, James é o artilheiro da Copa, com cinco gols.

"James pode me superar, claro. Ele tem apenas 22 anos e tem toda uma carreira pela frente, tem muito tempo para jogar", afirmou Valderrama.

O colombiano também elogiou o bom desempenho da seleção atual e relembrou o amigo e ex-companheiro de equipe Andrés Escobar, que morreu assassinado há 20 anos. (Escobar foi morto a tiros em Medellín após discutir com torcedores que o responsabilizaram pelo gol contra que eliminou a Colômbia da Copa do Mundo de 1994).

Confira a entrevista abaixo.

BBC: Como você avalia a atuação da Colômbia nessa Copa do Mundo?

Valderrama: O time está jogando muito bem. Nós, colombianos, queremos fazer história. Temos uma equipe muito forte ─ excelentes jogadores e comissão técnica. Vamos enfrentar o Brasil, mas acredito que temos chances de ganhar dos donos da casa.

BBC: Quais jogadores colombianos chamaram sua atenção nesse Mundial?

Valderrama: Toda a equipe vem jogando muito bem, mas destacaria as atuações de [David] Ospina, [Juan Guillermo] Cuadrado e James [Rodríguez], que foi a sensação desse torneio para nós. Isso sem falar de [Mario] Yepes, que sempre foi um grande jogador, apesar de sua idade [Yepes tem 38 anos].

BBC: Você ficou surpreso com o desempenho da Colômbia até agora?

Valderrama: Não fiquei surpreso. Sempre achei que a Colômbia tinha uma grande equipe e nossa seleção vem mostrando isso em campo. Acredito que muitos desses jogadores podem ter um futuro brilhante na Europa assim que a Copa terminar.

BBC: Todo mundo tem falado de James Rodriguéz. Podemos dizer que ele é o novo Valderrama?

Valderrama: Somos jogadores com estilos diferentes. Até agora, James foi o melhor jogador desse Mundial e todos nós colombianos estamos muito felizes com o que vem mostrando dentro dos gramados. Apesar de muito jovem, ele é ágil, tem boa posse de bola e organiza o jogo. É um excelente jogador. Considero que seu nível já se igualou ao de [Lionel] Messi e de [Cristiano] Ronaldo.

BBC: Mas você acredita que James pode um dia vir a superá-lo?

Valderrama: Sim, James pode ser melhor do que eu, porque ele ainda é muito jovem e tem toda uma carreira pela frente, tem muito tempo para jogar.

Direito de imagem AFP
Image caption Para Valderrama, James Rodríguez é a estrela do time colombiano

BBC: Como você compararia a seleção da Colômbia de 1990 e a de agora? Quais das equipes diria que é a mais forte?

Valderrama: Sem dúvida alguma, a seleção atual é melhor porque chegou mais longe do que a nossa. Foi a primeira vez que chegamos às quartas de final. Em 1990, até então o nosso melhor resultado, fomos eliminados nas oitavas. Temos hoje uma equipe excelente, que ganhou todas as partidas até agora, tem bom jogo e é forte na defesa.

BBC: Há 20 anos, morria Andrés Escobar. Quais lembranças você tem dele?

Valderrama: Tenho uma lembrança muito positiva de Andrés. Ele era um sujeito alegre, generoso e um excelente jogador. Éramos grandes amigos. Quando soube que ele havia sido morto a tiros, estava jogando nos Estados Unidos. Fomos todos tomados por um profundo sentimento de tristeza. Vou lembrar-me dele por toda a vida.

Notícias relacionadas