Suspeitos de assassinar jovem palestino são presos

Direito de imagem
Image caption O jovem Mohammad Abu Khdair foi visto pela última vez sendo forçado a entrar num carro

Autoridades israelenses prenderam indivíduos suspeitos de participação no assassinato do adolescente palestino Mohammad Abu Khdair, cuja morte desencadeou protestos violentos nos territórios palestinos.

A polícia israelense disse à BBC que o adolescente de 16 anos, que foi sequestrado na quarta-feira de manhã e encontrado morto horas depois, foi alvejado "por causa de sua nacionalidade".

O jovem teria morrido queimado. A família de Abu Khdair acredita que sua morte tenha sido uma vingança pelo sequestro e assassinato de três jovens israelenses cujos corpos foram encontrados no início da semana passada.

Antes do enterro dele, na sexta-feira, centenas de jovens palestinos entraram em choque com a polícia, desencadeando denúncias de violência policial.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

A agência de segurança de Israel, Shin Bet, divulgou uma declaração confirmando as prisões dos suspeitos pela morte de Khdair. Segundo a imprensa israelense, seis pessoas foram detidas. O órgão informou que eles estavam sendo interrogados.

"Com base em informações de inteligência, a polícia de Israel e a agência de inteligência prenderam vários judeus suspeitos no sequestro e na morte de Mohammad Abu Khdair no dia 2 de julho", dizia a declaração.

A agência não comentou sobre o possível motivo do assassinato e observou que os detalhes do caso estão sujeitos a questões judiciais.

Canais israelenses de notícia informaram que um dos seis suspeitos confessou o assassinato. Segundo o noticiário, o indivíduo teria dado informações sobre os outros suspeitos para a polícia, mas isso não foi confirmado pelos oficiais.

O primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que Israel irá responder aos assassinatos "com mão firme".

Direito de imagem AP
Image caption Milhares de pessoas participaram do enterro do jovem palestino na sexta-feira

"Nós não fazemos distinção entre os terroristas", disse o primiê. "Não vamos permitir que extremistas, estejam eles do lado que estiverem, mergulhem a região em um banho de sangue."

Jovem espancado

Milhares de pessoas participaram do funeral de Mohammad Abu Khdair na sexta-feira, próximo a casa da família no distrito de Shufat, em Jerusalém Oriental.

Centenas de jovens palestinos entraram em choque com a polícia israelense antes do enterro. Um deles foi o primo de Mohhammad Abu Khdair, o adolescente de 15 anos Tariq Khdair.

Ele foi preso por participar de confrontos violentos. Imagens de celular mostraram dois policiais espancando o adolescente geraram indignação.

Tariq foi solto sob fiança mas cumprirá pena de nove dias em prisão domiciliar por participar dos atos.

Notícias relacionadas