Israel anuncia início de ofensiva por terra contra Gaza

  • 17 julho 2014
Gaza (AP) Image copyright AP
Image caption Ofensiva israelense destruiu vários prédios em Gaza

O exército de Israel informou nesta quinta-feira ter iniciado uma ofensiva terrestre contra militantes palestinos na Faixa de Gaza.

A decisão de iniciar os ataques por terra se segue a dez dias de bombardeios aéreos.

De acordo com as autoridades israelenses, a nova fase da operação, que também inclui apoio naval e aéreo, visa estabelecer condições para que cidadãos israelenses possam vivem em segurança, além de atingir duramente a infraestrutura do Hamas, a facção palestina que controla Gaza.

Israel acusa militantes do Hamas de lançar foguetes contra cidades israelenses, enquanto que os palestinos dizem estar sendo vítimas da opressão israelense.

Até agora, representantes palestinos disseram que mais de 235 palestinos morreram nos ataques israelenses, enquanto que Israel diz que um de seus cidadãos morreu e outros ficaram feridos seriamente nos ataques palestinos.

Mais cedo, uma autoridade israelense disse à BBC que um acordo de cessar-fogo seria implementado na sexta-feira de manhã, numa iniciativa mediada pelo governo egípcio.

Crianças

Nesta quinta-feira, uma trégua humanitária de cinco horas foi adotada, mas foi rompida após, de acordo com Israel, palestinos terem lançado morteiros contra o território israelense.

Isso antecedeu a retomada da ofensiva de Israel, na qual ao menos mais três crianças palestinas foram mortas em um ataque aéreo.

Com isso, chegou a ao menos sete o número de crianças mortas nas últimas 24 horas em Gaza. Israel diz que foram disparados três morteiros a partir de Gaza, e a TV do Hamas acusou Israel de atirar morteiros perto de Rafah, no sul da região.

Correspondentes disseram que palestinos fizeram filas em frente a bancos e ruas estavam congestionadas com moradores em busca de suprimentos durante o curto período de trégua humanitária.

Israel lançou sua operação militar em 8 de julho.

A ONU diz que a maioria dos mortos em Gaza são civis e que pelo menos 1.370 casas já foram destruídas em Gaza e mais de 18 mil pessoas foram deslocadas desde o início da ofensiva.

Israel acusa o Hamas de usar a população civil como escudo para esconder a sua infraestrutura militar.

Notícias relacionadas