Após nova tragédia, futuro da Malaysia Airlines é incerto, dizem analistas

Aviões da Malaysia Airlines | Crédito: Getty Direito de imagem Getty

A queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines na última quinta-feira lançou novas incertezas sobre o futuro da companhia aérea asiática, cuja imagem e finanças já haviam sido fortemente abaladas pelo sumiço de outro avião, em março deste ano.

Analistas do setor de avião se questionam agora se a companhia conseguirá sobreviver a duas tragédias em tão pouco tempo.

"Mesmo se isso for pura coincidência, não há registro na história da aviação de acidentes com dois aviões de grande envergadura de uma mesma companhia aérea no espaço de poucos meses", afirmou Bertrand Grabowski, diretor de aviação do DVB Bank, financeira que tem entre seus clientes a própria Malaysia Airlines.

"O apoio do governo precisa ser mais explícito e talvez mais forte daqui para frente", sentenciou.

Na última sexta-feira, as ações da Malaysia Airlines caíram 11% ao fim do pregão. O pessimismo com a companhia aérea chegou, inclusive, a respingar em outras bolsas asiáticas, que também fecharam em queda, refletindo os temores de que o acidente possa intensificar as tensões políticas entre o Ocidente, a Ucrânia e a Rússia.

Essa é a segunda tragédia a atingir a Malaysia Airlines só neste ano. Em março, o voo MH370 desapareceu com 239 pessoas a bordo enquanto sobrevoava o Mar do Sul da China.

Investimento

A Malaysia Airlines vem registrando prejuízos há muitos anos. A sangria aumentou, contudo, com o acidente ocorrido no início do ano. Nos últimos nove meses, o valor de mercado da companhia já caiu mais de 40%.

Boatos sugerem que seu principal acionista, a Khazanah Nasional, o fundo soberano da Malásia, tem planos de privatizar a empresa.

Nos últimos anos, a Khazanah Nasional, que atua como um braço de investimentos do governo malaio, já investiu na aérea mais de US$ 1 bilhão (R$ 2,3 bilhões) e chegou, inclusive, a indicar que uma grande reestruturação estaria a caminho.

Analistas afirmam que mais investimentos são necessários para garantir a sobrevivência da Malaysia Airlines no curto prazo.

Em entrevista ao Serviço Mundial da BBC, Mohshin Aziz, analista de investimento do banco Maybank de Kuala Lumpur, descreveu como "insuperáveis" os desafios enfrentados atualmente pela Malaysia Airlines. Ele diz acreditar que, sem um significativo aporte, a companhia aérea irá à falência em menos de um ano.

Mas na avaliação de especialistas, mesmo se a Malaysia Airlines garantir uma nova fonte de financiamento, permanecerão dúvidas sobre sua viabilidade no longo prazo.

"O último incidente comprometerá por muito tempo a imagem da companhia, agora, do lado dos europeus", disse Leo Fattorini, especialista em aviação do escritório de advogados internacional Bird & Bird.

"A pergunta-chave é: será que a marca conseguirá sobreviver à última tragédia?", concluiu.

Notícias relacionadas