Hamas | Crédito: BBC
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Gaza tem 'domingo sangrento' com pelo menos 100 mortos

Image caption Hamas divulgou vídeos com provocações a judeus e a Israel

O domingo foi sangrento em Gaza, com o maior número de mortos registrado em um único dia desde que a ofensiva israelense começou.

Do lado palestino, pelo menos 87 pessoas morreram. Já Israel confirmou a morte de 13 soldados durante emboscada na madrugada de sábado para domingo.

O governo israelense, que começou uma ofensiva por terra na última quinta-feira, diz que seu alvo são os túneis usados pelos militantes do Hamas para atravessar a fronteira e realizar ataques surpresa.

O Hamas, no entanto, ainda continua enviando mensagens de provocação aos judeus.

Na linha de frente dessa batalha estão os civis, muitos deles palestinos que abandonam suas moradias para fugir da artilharia e do fogo dos tanques israelenses.

Mas neste domingo, em um abrigo da ONU, famílias dizem ter um novo motivo para deixar suas casas: o controle do IDF, ou as Forças de Defesa de Israel.

A reportagem da BBC foi informada de que soldados israelenses estariam assumindo o controle de casas localizadas na fronteira com Gaza. As Forças Armadas de Israel negam a acusação.

O número de refugiados, no entanto, não para de crescer. Nos armazéns da ONU em casa, o temor maior é a falta de suprimentos.

Um funcionário da ONU afirmou à repórter da BBC Lyse Doucet que só tem suprimentos para 35 mil pessoas enquanto a demanda já chegou a 50 mil.

Ele acrescentou que a partir desta segunda-feira os mantimentos começarão a faltar, como colchões, e os desabrigados terão de dormir no chão de concreto.