Israel e palestinos concordam com nova trégua

Fumaça e estilhaços voam após uma explosão em Gaza, que testemunhas dizem ser um ataque de Israel, 10 de agosto | Foto: Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Ataques aéreos de Israel e disparo de foguetes palestinos continuaram a acontecer neste domingo

Israel e grupos palestinos concordaram em realizar mais um cessar-fogo de 72 horas no conflito na Faixa de Gaza.

O Egito conseguiu que um acordo semelhante fosse firmado na semana passada, mas o confronto recomeçou após uma janela de três dias.

Espera-se que o novo cessar-fogo, que terá início às 21h GMT (18h no horário de Brasília), abra espaço para que as duas partes concordem com uma trégua mais longa.

Cerca de 2 mil pessoas já morreram no conflito, que começou no dia 8 de julho, quando Israel deu início a uma operação contra ataques de militantes originados em Gaza.

Entre os mortos estão mais de 1.900 palestinos, a maioria civis, de acordo com a ONU. No lado israelense, 67 pessoas foram mortas, incluindo três civis.

Após negociações tensas que ambos os lados ameaçaram abandonar, o anúncio da trégua neste domingo causou surpresa.

"Israel aceitou a proposta do Egito de um cessar-fogo de 72 horas", disse um alto oficial israelense à BBC.

Ele afirmou ainda que Israel enviará negociadores ao Cairo na segunda-feira, caso a trégua seja mantida.

Izzat al-Reshiq, um negociador do Hamas no Cairo, disse à agência de notícias Reuters que "em vista da aceitação de Israel à trégua e a sua retirada incondicional, informaremos os irmãos egípcios sobre a nossa resposta positiva".

Em um comunicado, o ministro das Relações Exteriores egípcio pediu que ambos os lados retomem as negociações indiretas e "trabalhem para um acordo de cessar-fogo abrangente e duradouro".

Correspondentes da BBC na região dizem que Israel provavelmente continuará presssionando pela desmilitarização da Faixa de Gaza, enquanto que o Hamas continuará exigindo o fim do bloqueio israelense na região.

Notícias relacionadas