Erdogan vence primeira eleição presidencial da Turquia

Primeiro-ministro turco Tayyip Erdogan e sua mulher Ermine celebram vitória nas eleições em 10 de agosto | Foto: Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Erdogan diz que fortalecerá a presidência do país

O atual primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, venceu a primeira eleição direta à presidência do país.

Com 98% dos votos contabilizados, Erdogan tem cerca de 52%, contra 38% do principal candidato da oposição, o diplomata Ekmeleddin Ihsanoglu.

O resultado elimina a necessidade de um segundo turno. A contagem oficial de votos será anunciada na segunda-feira.

Ihsanoglu, no entanto, já admitiu a derrota e parabenizou o primeiro-ministro pela vitória.

Erdogan dominou a política da Turquia na última década e venceu eleições sucessivas, mas continua dividindo opiniões.

Ele é reverenciado por parte da população por dar estímulos à economia e dar voz aos conservadores no país.

No entanto, seus críticos reclamam de seu estilo autoritário e de inclinações islâmicas em um Estado secularista, segundo o correspondente da BBC Mark Lowen em Ancara, na capital turca.

Após o anúncio dos resultados parciais, o candidato dos dois maiores partidos de oposição, Ekmeleddin Ihsanoglu parabenizou o primeiro-ministro e o desejou sucesso.

Em discurso neste domingo, Erdogan afirmou que "o povo mostrou sua vontade nas urnas hoje".

Ele é primeiro-ministro desde 2003 e está impedido de concorrer a um novo mandato.

Baixo comparecimento

De acordo com Mark Lowen, o número de eleitores que foi às urnas ter sido bem menor do que o esperado - alguns podem ter desistido de votar por causa do calor do verão turco e dos feriados.

A Turquia - cercada pelos conflitos no Iraque, Síria e Ucrânia - é uma importante aliada do Ocidente, disse Lowen, e quem se tornar chefe de Estado vai assumir um país com uma posição geopolítica chave.

Antes da eleição, Erdogan disse que transformará o cargo de presidente, em grande parte cerimonial, na potência executiva do país.

Seu outro rival, o político curdo Selahattin Demirtas, obteve cerca de 9% dos votos.

Em seu último comício na cidade de Konya, no sábado, Erdogan prometeu desenvolver os príncipios democráticos e a economia da Turquia para criar um "líder mundial e uma potência global".

"Não há nenhum sonho inatingível ou objetivo inatingível para esta nação", disse.

Notícias relacionadas