Prêmio a 'prodígio brasileiro' da matemática é destaque no mundo

AFP/Getty Direito de imagem AFP
Image caption Ávila recebeu o prêmio das mãos da presidente sul-coreana Park Geun-Hye

O carioca Artur Ávila, o primeiro brasileiro a ganhar a medalha Fields, tida como o 'Nobel da Matemática', foi saudado como "garoto prodígio" por uma revista especializada americana.

"Um 'Wunderkind' brasileiro que acalmou o caos", diz a manchete da revista online Quanta Magazine, publicação independente financiada pela fundação americana Simons Foundation para fomentar o conhecimento público sobre ciência.

Em um amplo perfil com vídeo, Ávila, agraciado nesta quarta-feira pela União Internacional de Matemática pela sua "profunda contribuição à teoria de sistemas dinâmicos", é descrito por um renomado matemático francês, Jean-Christophe Yoccoz, também vencedor da medalha Fields em 1994, como "um dos melhores analistas do mundo".

"Artur é uma classe por si só", avalia Yoccoz, explicando que a maioria dos matemáticos foca em uma área específica com baixo índice de sucesso, enquanto Avila "ataca vários problemas importantes e resolve vários deles".

O jornal britânico The Guardian cita Ávila como exemplo de que "assim como um técnico de futebol junta jogadores com talentos diferentes mas que se complementam, matemáticos cada vez mais juntam pensadores com qualidades e bases de conhecimentos distintas para colaborar em problemas".

"Ávila co-escreveu artigos científicos com cerca de 30 colegas ao redor do mundo. Sua principal área é de sistemas dinâmicos, que lida com o comportamento de sistemas no tempo, assim como por exemplo, um ponto que se move de acordo com uma regra matemática", explica o jornal.

Já o vespertino francês Le Monde relata que, graças a Ávila, que tem dupla nacionalidade – brasileira e francesa -, a França segue no encalço dos Estados Unidos como países com maior número de agraciados com a prestigiada medalha. Os Estados Unidos têm 14, enquanto a França tem 13.

Notícias relacionadas