Violência contra professores: o que você achou da nossa cobertura?

  • 29 agosto 2014
  • comentários
Equipe Image copyright
Image caption BBC tem redações em Londres e em São Paulo

Ao longo desta semana, a BBC Brasil apresentou uma série de reportagens sobre um tema que vinha ganhando pouco destaque no debate nacional: a violência contra os professores.

A escolha do tema foi feita após uma consulta com nosso público indicar que esse era um assunto relevante que não vinha ganhando o merecido destaque na imprensa.

Aproveitamos as mídias sociais para falar diretamente com nosso público em várias partes do Brasil e do mundo.

Destacamos histórias de professores ameaçados e agredidos verbal e fisicamente. Mostramos que o problema não ocorre apenas na rede pública.

O caso de um professor de uma escola particular que, no primeiro dia de aula, foi atingido por um azulejo no olho, chocou muitos leitores. Ele continuou a aula com o olho sangrando e acredita ter, desta maneira, conquistado o respeito dos alunos. Um ato corajoso, mas que não pode servir de modelo.

No caso mais grave que destacamos após alertas de leitores de Sergipe, um professor de biologia baleado luta pela vida internado em um hospital. O suspeito, que se entregou à polícia, é um aluno.

Especialistas nos disseram o que parece óbvio, mas que, muitas vezes, precisa ser destacado, que " a valorização do professor é chave para melhorar a Educação".

O senador e ex-ministro da Educação Cristovam Buarque lembrou que a escola também é violenta com o aluno, mostrando que a violência nem sempre é física mas, muitas vezes, institucional.

Em busca de uma cobertura que não apontasse apenas problemas, trouxemos soluções adotadas no Brasil, como a militarização de escolas em Goiás ou a adoção de aulas de respeito e de honestidade. Temas polêmicos que geraram acaloradas discussões online.

Nossa presença no Brasil e no exterior, com redações em São Paulo e em Londres, permitiu também que trouxéssemos perspectivas diversas. A violência contra professores não é um problema apenas do Brasil.

Em outros países, o assunto também é polêmico e as soluções, variadas. No entanto, o problema no Brasil não pode ser minimizado com um discurso de 'acontece até no Primeiro Mundo'. Mostramos que o país ocupa uma liderança indesejada em um ranking da OCDE de violência contra professores.

Aqui na Grã-Bretanha, onde moro há 14 anos, ser professor é uma profissão respeitada e ambicionada pela classe média. Quantos excelentes e transformadores professores o magistério brasileiro perdeu ao longo das últimas décadas para profissões que dão mais dinheiro? Como reverter a perda de status da profissão que faz com que ser professor seja uma das últimas opções de jovens no Brasil?

Image copyright BBC Brasil

Salários de R$ 9,5 mil? Federalização de escolas? Ouvimos muitas sugestões de especialistas e de leitores. Nos surpreendemos com a grande participação do público, de todas as idades e regiões do Brasil, nos nossos fóruns online. Não deveria ter causado surpresa. O valor da Educação para o futuro do país parece ser consenso. Mas será que Educação de base não dá voto, como nos disse um entrevistado?

Se você acha que dá, atenção à nossa matéria de hoje. Nesta sexta-feira, publicaremos o que representantes de campanhas dos candidatos à Presidência têm a dizer sobre o tema. Mas Educação não é função apenas do governo federal. O que propõem candidatos a outros cargos públicos? Se acharem algo interessante, por favor, compartilhem conosco.

Esperamos ter contribuído de forma construtiva com o debate, e gostaríamos de saber o que você achou da nossa cobertura. Foi útil? Faltou algo?

Queremos inaugurar aqui uma nova forma de fazer jornalismo, mais aberta à contribuição do nosso público não apenas no estágio inicial de definição de uma ideia, mas também ao longo de todo o processo de pesquisa e apresentação do conteúdo.

Notícias relacionadas