O jovem pode mudar a cara da política?

Jovem (AP) Direito de imagem AP
Image caption Pesquisas apontam descontentamento de jovens com partidos políticos, mas não falta de engajamento entre os eleitores mais novos.

"A juventude está tão perdida que alguns dos meus amigos vão votar no candidato que acham menos pior", diz o estudante Lucas Araújo, de 18 anos, de Campina Grande (PB).

"As pessoas estão perdendo as esperanças. Prometeram muitas coisas nos protestos, mas nada aconteceu", escreveu o estudante Gabriel Maggiori, 18 anos, de São Paulo.

Essas são apenas algumas das opiniões de leitores jovens da BBC Brasil no Facebook sobre suas expectativas para as eleições presidenciais de outubro, o que poderia sugerir um cenário de descrédito das gerações mais novas com as instituições políticas do país. Mas o jovem realmente quer distância dos debates sobre o futuro político do Brasil?

Consultas recentes da BBC Brasil a seus leitores também revelaram o perfil de um jovem que, se por um lado está decepcionado com a classe política, se mostra confiante no processo eleitoral e disposto a assumir um papel de protagonismo na busca por novos meios para mudar a sociedade brasileira.

De olho na importância desta fatia do eleitorado - de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 16,1% dos 142,8 milhões de eleitores em 2014 têm entre 16 e 24 anos de idade - a BBC Brasil dedica uma semana de sua cobertura especial das eleições ao tema do jovem eleitor e a seus anseios e preocupações em relação ao futuro do país.

Poder jovem

Essa será a primeira eleição após os protestos de rua que varreram o país a partir de junho de 2013 e que trouxeram à tona a força das mídias sociais como fator de transformação, dois acontecimentos diretamente conectados ao "novo papel" do jovem eleitor.

Mas além de estarem cada vez mais conectados - uma pesquisa do Centro de Estudos sobre as Tecnologias de Informação e Comunicação (Cetic.br) aponta que 75% dos jovens entre 16 e 24 anos entram na rede diariamente – os jovens também estão interessados em política, embora de um modo às vezes distante do jogo eleitoral tradicional.

De acordo com um levantamento Datafolha divulgada no final de agosto, 76% dos eleitores entre 16 e 24 anos disseram ter algum interesse pelas eleições, sendo que 30% afirmaram que têm um "grande" interesse.

Outra enquete recente, do instituto Data Popular, apontou que 70% dos jovens acreditam que o voto pode transformar o país, mas 59% opinaram que o Brasil estaria melhor se não houvesse partidos políticos.

Para entender esse fenômento, a partir de terça-feira a BBC Brasil vai mostrar perfis de jovens que, por suas posições, ideias ou ações estão redefinindo o ativismo político e encontrando novas formas de mudar o país.

Vamos mostrar também o que pensam e o que motiva os candidatos mais jovens dos principais partidos e abrir espaço para a participação de nossos jovens leitores. Estes poderão participar através de depoimentos gravados em vídeo ("video selfies") em que respondem à pergunta "Qual é a medida urgente para melhorar o Brasil?" Participe você também!

Direito de imagem AP
Image caption De acordo com TSE, jovem de entre 16 e 24 anos representam 16,1% do eleitorado brasileiro.

Notícias relacionadas