Reino Unido quer distribuir pílulas 'anti-alcoolismo'

BBC
Image caption Alto consumo de bebida alcoólica é problema comum no Reino Unido

O serviço público de saúde do Reino Unido, o NHS, quer distribuir pílulas que visam diminuir o consumo de bebidas alcoólicas.

O remédio, chamado nalmefene, custa 3 libras (cerca de R$ 12) por comprimido e já está sendo receitado na Escócia.

O nalmefene deverá ser disponibilizado para as pessoas que bebem regularmente grandes quantidades de bebidas alcoólicas, segundo o Instituto Nacional para Excelência em Cuidados de Saúde (NICE, na sigla em inglês).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define o alto consumo de bebidas alcoólicas como o consumo de mais de 7,5 unidades diárias para homens (o equivalente a 1,7 litro de cerveja com força de 5%) e mais de cinco unidades diárias (cerca de 1,14 litro de cerveja com o mesmo teor) para mulheres.

Em novembro, o instituto deverá publicar as últimas orientações sobre a distribuição do remédio. De acordo com a entidade, 600 mil pessoas no Reino Unido poderão receber o nalmefene.

Os pacientes devem tomar um comprimido uma vez por dia e ele vai reduzir a vontade de consumir bebidas alcoólicas.

O tratamento com o comprimido foi autorizado quando o paciente também recebe apoio psicossocial para largar a bebida.

Se o nalmefene receber a aprovação final, será distribuído pelo NHS para pacientes da Inglaterra e País de Gales.

Carole Longson, diretora do Centro de Avaliação de Tecnologia de Saúde do NICE, afirmou que as pessoas que receberem o nalmefene já terão dado o primeiro passo no tratamento.

"Aqueles que podem receber o nalmefene já terão dado os primeiros grandes passos ao visitar o médico, se envolver com os serviços de apoio e participar de programas de terapia", disse.

"Nós usamos o nalmefene junto com apoio psicossocial e foi eficaz clínica e economicamente para o NHS, comparado apenas ao apoio psicossocial", acrescentou.

'Cura milagrosa'?

"É importante que as pessoas não vejam isso como uma cura milagrosa, é outra peça do arsenal, principalmente para clínicos gerais, para trabalhar com as pessoas que estão bebendo demais. Mas, o mais importante, é que só será eficaz se as pessoas tiverem a quantidade certa de aconselhamento e apoio psicológico", disse Andrew Langford, diretor-executivo da organização de caridade britânica British Liver Trust, especializada em pesquisa e tratamento de doenças do fígado.

Para Niamh Fitzgerald, palestrante em estudos do álcool na Universidade de Stirling, há motivos para preocupação com o que a introdução do nalmefene vai significar na prática.

"O fato de que os problemas com bebida alcoólica estão espalhados pela sociedade é um princípio importante para opções eficazes de políticas (de combate) como (estabelecer) um preço mínimo para a unidade (de bebida) ou restrições à propaganda do álcool", disse.

Matt Field, professor especializado em questões ligadas ao vício na Universidade de Liverpool, afirmou que a eficácia do nalmefene (também conhecido como selincro) é polêmica.

"Todos os dados de testes clínicos são de pessoas que estavam motivadas a reduzir o consumo de bebidas", disse.

"Simplesmente não foi testado em pessoas que não estão interessadas em reduzir o consumo de bebida alcoólica, e a maioria dos clínicos acredita que não há tratamento que possa ser eficaz, a não ser que as pessoas estejam motivadas a mudar", acrescentou.

Notícias relacionadas