Quando é a hora certa para se demitir do seu emprego?

Direito de imagem THINKSTOCK

Quando você sente que está tudo errado no emprego, que se levantar para ir trabalhar de manhã é um esforço gigantesco e que você chegou a um limite: será que chegou a hora certa para pedir demissão?

Muitas pessoas abandonam seu emprego porque não aguentam mais trabalhar nas mesmas funções. Outras o fazem devido a mudanças súbitas que tiveram em suas vidas.

Veja o que dizem consultores do grupo LinkedIn Influencers – profissionais tidos como muito influentes nos seus ramos de trabalho, segundo o site de rede social voltado para assuntos de negócio.

Murugan Pandian, especialista em projetos do St. Joseph's Hospital (País de Gales)

"Você se pergunta por que ainda está indo todo dia para o mesmo emprego que tanto odeia? Você provavelmente já aceitou o fato de que isso faz parte da sua rotina. Você também pode estar se sentido sortudo por ter um emprego e conseguir pagar suas contas", diz Pandian.

Mas ele recomenda que as pessoas tenham a reação contrária e não sucumbam a esses pensamentos.

"Se você não se sente inspirado em seu trabalho, meu conselho é: demita-se", diz.

Ele argumenta que se as pessoas passam muitas horas fazendo algo que detestam, isso impede que elas desenvolvam habilidades de fazer as coisas nas quais são talentosas.

Por mais que se tente esconder o desprezo pelo emprego atual, a maior parte das pessoas conseguirá ver que o funcionário está desmotivado. E isso pode causar atritos com os colegas de trabalho.

"Se você não tiver um mentor ou uma pessoa que o defenda e o incentive seu trabalho atual, será muito difícil para você crescer profissionalmente", diz Pandian.

É claro que é sempre melhor ter outro emprego ou oportunidade de trabalho antes de se demitir, certo? Nem sempre.

"Pessoas sempre recomendam que você não se demita antes de encontrar outro emprego. É verdade que estar empregado enquanto se procura outro trabalho é muito útil. No entanto, se você estiver se sentido mal demais, às vezes é melhor se demitir, reorganizar suas prioridades na vida e elaborar uma estratégia mais criativa de procura de empregos."

Não se preocupe se, ao se demitir, você tiver passado pouco tempo na função atual, recomenda Pandian.

"Não se preocupe com o que os outros vão achar, porque você está sempre fazendo o melhor para a sua carreira. No fim das contas, ninguém se importa quanto tempo você passou em um determinado emprego."

NICOLA ROARK, consultora de marketing da Exhilaration Marketing (Inglaterra)

"A melhor decisão que tomei foi quando eu tinha 32 anos. Eu decidi abandonar um emprego que eu até gostava um pouco e onde eu finalmente estava começando a me destacar. Peguei um avião aos sete meses de gravidez e me mudei para a Inglaterra", diz Roark.

"Eu fiz isso para estar junto a meus pais quando minha mãe estava morrendo."

Roark passou meses tentando tomar uma decisão enquanto batalhava por sua carreira no Estado americano do Colorado. Subitamente, o estado de saúde da sua mãe piorou rapidamente.

"Eu não entrei em pânico com a decisão porque eu tinha certeza que tinha um lugar mais importante onde eu precisava estar."

Para muitos, o ato de se demitir e voltar a morar com os pais por um tempo é uma espécie de "suicídio financeiro". E nem todos têm condições de fazer isso. Mas Roark disse que, em alguns casos, essa é a escolha certa a se fazer.

"Se você se sente consumida pela identidade que criou em sua carreira, posso lhe dizer que no fundo isso não significa nada", diz Roark.

"Teria sido mais fácil financeiramente e profissionalmente ficar com meu emprego e viajar apenas na última hora, quando eu recebesse a ligação de que minha mãe estava em seus últimos momentos", afirma.

"Foi a melhor decisão da minha carreira? Eu nunca vou saber, e sinceramente eu nem me importo. Continua sendo a melhor decisão que já tomei em minha vida."

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Capital.

Notícias relacionadas