Conheça os dez destinos turísticos mais éticos de 2014

Direito de imagem GETTY IMAGES
Image caption Ilhas Maurício está entre destinos turísticos mais éticos, segundo Ethical Travelers

Por que as Bahamas são um destino turístico mais ético do que a Costa Rica?

Comparações como esta estão no cerne de um relatório da entidade americana Ethical Traveler, que recomenda que turistas "invistam" seu dinheiro e tempo de férias em lugares mais responsáveis socialmente. Desde 2006, a entidade elabora uma lista dos dez destinos turísticos mais éticos do mundo.

"Você deve botar seu dinheiro nas coisas em que acredita", diz o diretor da Ethical Traveler, Jeff Greenwald.

"Todo mundo adora viajar para a Tailândia, Camboja our Mianmar, mas esses países não possuem bons históricos de direitos humanos. Por que não usar seus dólares para demonstrar apoio e solidariedade por países que tentam ter bons governos e atrair turistas? Por que não recompensá-los? Isso pode servir de ótimo incentivo econômico para os países fazerem a coisa certa."

A surpresa da lista de 2014 foi a inclusão de novos países, que não apareciam nas edições anteriores: Bahamas, Chile e a ilha caribenha de Dominica. Os três países substituíram Costa Rica, Gana e Samoa – lugares recomendados em 2013 que agora desapareceram da lista.

A lista completa é: Bahamas, Barbados, Cabo Verde, Chile, Dominica, Letônia, Lituânia, Ilhas Maurício, Palau e Uruguai.

A Ethical Traveler só indica os dez destinos turísticos mais éticos – ela não coloca esses países em uma ordem de "mais ético" para o "menos ético".

Tráfico humano e 'carbono negativo'

Direito de imagem GETTY IMAGES
Image caption Programa para empregar desmatadores no turismo fez Chile entrar na lista

Mas quais são os critérios?

Os principais quesitos são beleza natural intocada e experiência cultura autêntica. Mas os especialistas do relatório da Ethical Traveler também faz suas recomendações com base em quatro categorias: proteção ambiental, bem-estar social, direitos humanos e – agora pela primeira vez – bem-estar dos animais.

As Bahamas conquistaram seu lugar entre os dez melhores destinos ao combater o tráfico humano e expandir áreas de proteção ambiental, como o Andros West Side National Park, que passou de 3.570 km² para 5.260 km².

O Chile melhorou sua nota no item de igualdade entre gêneros e lançou um plano ambicioso de políticas ambientais – incluindo um programa para tirar pessoas que trabalhavam em desmatamento e recolocá-las na indústria do turismo.

Em Dominica, o governo lançou um programa para transformar a ilha caribenha até 2020 em "carbono negativa" – ou seja, um lugar que ajuda a retirar gás carbônico do meio ambiente em uma proporção maior do que polui.

"Nós sentimos que podemos fazer uma diferença nesses países porque eles estão comprometidos a fazer a coisa certa. Se pudermos mandar mais gente para esses lugares por causa de suas boas políticas, acho que os turistas vão perceber e participar", diz Greenwald.

Rebaixados

Três destinos turísticos deixaram de estar entre "os mais éticos", segundo a edição deste ano da lista: Costa Rica, Samoa e Gana.

A Costa Rica vem crescendo como um grande polo de tráfico humano. Além disso, segundo a Ethical Traveler, o governo permite que ambientalistas sejam perseguidos politicamente. Há muitos ativistas que combatem a pesca de tubarões e o comércio de tartarugas na Costa Rica.

Direito de imagem GETTY IMAGES
Image caption Natureza intocada é um dos aspectos que rende pontos no relatório da entidade

Gana, que já esteve na lista, foi excluída agora devido a leis do país contra homossexuais. Homossexualidade é ilegal em Gana e o país não reconhece casais gays. Também não há leis que protejam contra discriminação baseado em orientação sexual.

Samoa saiu da lista por desmatamento não-sustentável, por não garantir direitos de gays e por pouca proteção às mulheres.

Mesmo com todos esses problemas, Costa Rica, Gana e Samoa recebem altas notas em outros quesitos, como beleza natural intocada e experiência cultura autêntica.

A onda do turismo ético também gerou outros negócios com esse tipo de preocupação. O site Green Travel Reviews faz resenhas de turismo levando em consideração as preocupações ambientais dos destinos avaliados.

Na Dominica, o site deu notas altas ao Rosalie Bay, o único resort da ilha caribenha com o certificado ambiental Green Globe, devido à política energética do hotel. O resort funciona com energia gerada por mais de 200 paineis solares. A comida servida é produzida localmente e de fontes orgânicas.

Na Costa Rica, o eco-resort Casa Corcovado Jungle Lodge foi o único a receber cinco estrelas em um selo especial criado pelo governo local. Tecnologia de painéis solares é usada para esquentar a água no resort de 687 mil m² no litoral do país.

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Travel.com.

Notícias relacionadas