Imagens impressionantes mostram bombardeio de colina ocupada por 'EI'

Militantes do EI numa colina perto de Kobani Direito de imagem AFP
Image caption Militantes do 'Estados Islâmico' numa colina nas cercanias de Kobani, cidade na Síria palco de violentos combates entre combatentes do grupo radical e guerrilheiros curdos

Autoridades militares dos Estados Unidos divulgaram nesta quinta-feira fotos que mostram o impressionante bombardeio de uma posição ocupada por combatentes do Estado Islâmico numa colina nas proximidades da cidade síria de Kobani - descrita como um centro de comando do grupo radical.

Palco de violentos combates entre as forças do grupo extremista islâmico e guerrilheiros curdos (os pershmerga), a cidade, próxima à fronteira com a Turquia, se transformou num ponto focal dos esforços contra os avanços do EI.

Leia mais: Bombardeios não serão suficientes para derrotar EI, avisam forças curdas

As imagens exibem a sequência de eventos após uma bomba de um caça da coalizão liderada pelos americanos atingir em cheio a colina ocupada por um grupo de militantes, em que estava fincada uma bandeira do 'Estado Islâmico'. Uma explosão brilhante é seguida de outros ataques em que nuvens de fumaça negra tomam conta da colina.

Direito de imagem AFP
Image caption O momento em que a primeira bomba atinge a colina controlada pelo 'Estado Islâmico', que buscava um ponto estratégico para dirigir os ataques a Kobani

Os bombardeios da coalizão se intensificaram nos últimos dias, apesar das notícias de que ataques anteriores tinham conseguido conter o avanço dos combatentes islâmicos sobre Kobani.

Leia mais: Refugiados lutam pela vida ao deixar alvo do 'Estado Islâmico"

Sua possível tomada pelo 'Estado Islâmico' seria um duro golpe para os pershmerga, que lutam no solo contra os jihadistas.

Direito de imagem AFP
Image caption Autoridades americanas divulgaram as imagens do bombardeio, que teve o objetivo de auxiliar a ofensiva terrestre dos guerrilheiros curdos

O cerco de Kobane causou preocupação suficiente para que o governo da Turquia, inimigo histórico dos curdos, autorizasse o trânsito de guerrilheiros em direção à Síria para reforças as linhas pershmerga na cidade.

Nesta semana, aviões americanos lançaram, pela primeira vez, armas e suprimentos para os guerrilheiros, que enfrentam um inimigo mais equipado - há até rumores de que as forças do 'Estado Islâmico' estariam começando a treinar pilotos de caças.

Direito de imagem AFP
Image caption Kobani tem importância mais simbólica que estratégica para ambos os lados no combate

Os combates em Kobani ajudaram a agravar a situação dos refugiados sírios. De acordo com autoridades turcas, mais de 160 mil refugiados cruzaram a fronteira desde a intensificação dos combates na região.

A Turquia abriga hoje metade dos mais de 3 milhões de sírios que fugiram de seu país desde o início da guerra civil na Síria, em 2011.

Notícias relacionadas