Catalunha faz consulta popular sobre independência da Espanha

Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Eletores respondem se querem um Estado catalão e se ele deve ser independente da Espanha

O povo da Catalunha, região autônoma ao norte da Espanha, está votando hoje em uma polêmica consulta popular sobre sua independência.

Os cidadãos estão sendo questionados se querem a criação de um Estado catalão e se este Estado deve ser independente.

A Justiça espanhola considerou a votação inconstitucional, mas o líder do Executivo catalão, Artur Mas, alertou que o governo central não deveria interferir no processo.

"Não sei o que eles (do governo central) farão. Isso não depende da gente. Mas qualquer medida contra a votação seria um ataque direto contra a democracia e os direitos fundamentais", disse Mas.

Leia mais: Engajados no processo catalão, brasileiros também votam sobre independência

O Tribunal Constitucional da Espanha havia suspendido a realização de um referendo oficial sobre o assunto.

Nesta semana, a mesma corte exigiu que a votação fosse suspensa.

Mas o governo da Catalunha decidiu seguir em frente com a "consulta a seus cidadãos".

O primeiro-ministro Mariano Rajoy disse que a votação não terá efeitos práticos e pediu que a Catalunha retornasse à "sanidade".

Nacionalismo

Direito de imagem Reuters
Image caption Defensores da independência esperam ter o apoio de 1,5 milhão de cidadãos

A Catalunha é uma rica região da Espanha com 7,5 milhões de habitantes.

Ela contribui mais para a economia espanhola do que recebe de volta por meio de fundos do governo central.

Disputas econômicas e diferenças culturais deram força ao nacionalismo na região.

Segundo o correspondente da BBC Chris Morris, muitos catalães sentem que fazer parte de um único Estado, o espanhol, não é o mais adequado para eles.

Por isso, existe uma longa história de luta pela independência da região ou de ao menos uma maior autonomia.

Leia mais: Sem referendo, Catalunha terá votação simbólica sobre independência

Em 2006, a Catalunha passou a se considerar uma região com estatus de "nação", mas isso foi derrubado pelo Tribunal Constitucional em 2010.

O repórter Patrick Johnson, da BBC News, acompanhou a movimentação em um dos pontos de votação.

"A maioria diz que votará a favor da independência, mas há alguns que votarão contra, mas fazem questão de ir às urnas numdesafio ao que veem como uma intransigência de Madri", afirma Johnson.

O premiê Rajoy disse que o foco deveria estar no diálogo entre o governo da Catalunha e o governo central espanhol, liderado por ele, dentro dos "parâmetros constitucionais".

Protestos

Direito de imagem AP
Image caption Em Barcelona, protesto pela votação teve um início de conflito, mas ninguém foi preso

O grupo Libres e Iguales (Livres e Iguais, numa tradução livre do espanhol) é contra a votação e realizou protestos em diversas cidades.

Um protesto em Barcelona, capital da Catalunha, teve um início de conflito, mas ninguém chegou a ser preso.

Manifestações a favor da consulta também foram tealizados.

Os apoiadores da independência acreditam que um grande apoio à proposta por meio da consulta colocará mais pressão sobre o governo central para abrir negociações sobre mais autonomia política e fiscal, o que levaria à realização de um referendo sobre a independência.

Eles esperam ter o voto de 1,5 milhão de catalãos. Já aqueles contrários não devem ir às urnas.

Notícias relacionadas