Canal de TV gera polêmica ao entrevistar pedófilo na Grã-Bretanha

"Eddie", o pedófilo Direito de imagem PA
Image caption Na entrevista ao Channel 4, "Eddie" diz que falar abertamente sobre seu desejo sexual por crianças é forma de buscar tratamento

Um programa de TV em que um pedófilo fala abertamente sobre sua atração sexual por meninas tão jovens quanto quatro anos está provocando polêmica no Reino Unido mesmo antes de ir ao ar.

Intitulado O Vizinho Pedófilo (em tradução livre), o documentário do Channel 4 será exibido na noite desta terça-feira, propondo-se a discutir estratégias de prevenção e tratamento para o problema.

O carro-chefe do documentário será uma entrevista com "Eddie", pedófilo confesso que aceitou aparecer no ar sem disfarces e mantendo apenas seu sobrenome em sigilo. Na entrevista, o homem, de 39 anos, admite sentir atração por crianças, mas afirma que jamais teve contato sexual com elas.

"Muitas pessoas automaticamente pensam que vou atacar crianças. Não quero fazer isso", explica o homem.

"Tenho certeza de que muita gente vai perguntar por que não estou preso ou por que alguém não me mata. As pessoas esperam que você cometa o crime antes de pensarem em te ajudar. Se você não tem a oportunidade de buscar tratamento abertamente, você nunca conseguirá mudar".

A polícia britânica diz não ter registro de qualquer incidente envolvendo "Eddie".

"Eddie" disse ter aceitado aparecer no programa por acreditar que pedófilos devam receber tratamento. É um argumento defendido também por uma série de especialistas ouvidos pelo documentário.

Leia mais: Pedófilo é condenado após armadilha com menina virtual

Polêmica

No entanto, uma das principais ONGs infantis do Reino Unido, a Associação National de Vítimas de Abusos na Infância (Napac), criticou duramente o Channel 4. Um porta-voz da ONG classificou o documentário como ofensivo e disse que o programa estaria encorajando o comportamento de "Eddie".

"O programa deveria ter dedicado espaço às vítimas e ao trabalho para auxiliar pessoas que foram vítimas de abusos. Em vez de ficarmos com pena de pedófilos incompreendidos, todos nós deveríamos lançar luz sobre as horríveis experiências vividas pelas vítimas", disse Peter Saunders, diretor da Napac.

Leia mais: Internet oculta - os segredos de um universo paralelo

Por outro lado, outra das principais entidades do tema, a Sociedade Nacional de Prevenção à Crueldade contra a Criança (NSPCC), defendeu a decisão de levar a entrevista ao ar.

O diretor da NSPCC, Jon Brown, classificou a proposta de "fantástica" por considerar que aborda a pedofilia como "um problema de saúde pública" cuja solução passa pelo tratamento preventivo.

Segundo a NSPCC, há cerca de 250 mil pedófilos confessos na Grã-Bretanha. A ONG acredita que muitos outros buscarão ajuda por causa do programa.

A produção do documentário informou que "Eddie" buscou tratamento no exterior.

O uso da entrevista foi defendido por uma vítima de abusos, Ian McFayden, que também aparece no documentário.

"Não estou aqui para defender pedófilos, mas ele ("Eddie") não cometeu crime algum".

Notícias relacionadas