Polícia prende superfalsários que 'inventaram' cédula de 300 euros

Foto: Polícia italiana Direito de imagem Policia Italiana
Image caption Cédulas "impossíveis" de 300 euros circularam até na Alemanha, sede do Banco Central Europeu

Uma gangue que falsificava notas e moedas de euro – e tinha até uma escola de falsários – foi desbaratada pela polícia italiana. Os criminosos já tinham até posto em circulação notas de 300 euros, que não existem.

A polícia prendeu 56 pessoas, acusadas de fazer parte da operação de falsificação. Os policiais disseram estar surpresos com o profissionalismo dos criminosos e com sua capacidade de fazer circular notas inexistentes.

As notas de 300 euros não existem, mas mesmo assim os criminosos conseguiram repassá-las em vários países - inclusive na Alemanha, onde fica a sede do Banco Central Europeu.

As cédulas foram especialmente criadas pelo grupo seguindo o estilo da moeda única européia. Existem notas de cinco, de dez, de 20, de 50, de 100, de 200 e de 500 euros.

Nápoli

O bando de falsários foi chamado de "grupo Nápoli" por ter sua origem nessa cidade do sul da Itália. A polícia estima que cerca de 90% de todas as notas falsas de euro que são postas em circulação na Europa são produzidas na região.

De acordo com as autoridades, o grupo funcionava como uma verdadeira empresa, com onze setores especializados que se ocupavam desde a compra de matérias-primas até a logística e o repasse das notas falsas.

A operação do esquadrão antimáfia italiano vinha sendo preparada desde 2012. A polícia fechou duas gráficas em Nápoli que produziam notas e raspadinhas e mais uma fábrica de moedas perto de Roma. O grupo chegava a dar cursos de formação para falsificadores de toda a Europa.

Em suas comunicações, os membros da gangue chamavam as notas falsas de "nhoques" ou "sapatos" para despistar a polícia. Dólares falsos eram chamados de "americanos".

Os países preferidos pelo grupo para escoar as cédulas eram França, Espanha, Alemanha e Romênia. No entanto, os criminosos também as repassavam em países do norte da África, como Marrocos e Tunísia

Sarcasmo

A captura dos falsários teve grande repercussão na imprensa italiana. A polícia divulgou um vídeo da operação, em que foram apreendidas cerca de 5.500 notas falsas, no valor fictício de um milhão de euros.

Há quem tenha se divertido com a criação das notas de 300 euros, que não foram mostradas pela polícia para não causar confusão e não estimular outros falsários.

"A gangue merecia ir para a cadeia. Mas, cá entre nós, também merece um parabéns por ter enganado os alemães com as notas de 300 euros", disse o site de humor Il Grande Cocomero, reavivando a animosidade entre italianos e alemães quando o assunto é dinheiro.

Notícias relacionadas