Nova técnica abre caminho para decifrar papiros queimados por lava há 2 mil anos

BBC
Image caption Depois de quase 2 mil anos, nova tecnologia permite decifrar documentos da época de Júlio Cesar (Foto: BBC)

Cientistas franceses em Grenoble desenvolveram uma nova técnica para analisar papiros de quase 2 mil anos de idade que foram queimados pela lava de um vulcão.

Os papiros romanos pertenciam ao sogro de um dos mais famosos líderes da história, Júlio César. Eles foram encontrados em uma biblioteca de Herculano, uma cidade romanda perto de Pompeia.

O gás quente expelido pelo vulcão Vesúvio carbonizou centenas de papiros antigos no ano de 74 antes de Cristo, destruindo-os - mas também preservando-os.

O problema é que, ao tentar abrir os rolos com os papiros carbonizados, estes se desintegravam.

Leia mais: Arqueólogos britânicos mapeiam cidade medieval sem fazer escavação

Agora os cientistas usaram raios de fótons para detectar vestígios minúsculos de tinta e as marcas deixadas dentro dos rolos do papiro.

Image caption Papiro foi carbonizado depois de uma erupção do vulcão Vesúvio, perto de Pompeia (Foto: BBC)

Eles analisaram como os fótons são desviados quando passam pelos papiros. Ao disparar estes raios de ângulos diferentes, eles podem construir imagens de cortes transversais dos antigos documentos.

Com este método os pesquisadores detectam o contraste que ocorre quando os materiais refratam os raios.

Nos papiros de Herculano, as letras pintadas com tinta se elevam a cerca de 0,1 milímetro da superfície do papiro.

Image caption Antes, cientistas tentavam abrir os rolos do papiro e o documento de desintegrava

Esta minúscula elevação é o bastante para que os cientistas descubram onde está a tinta com a ajuda de um raio-X.

Carbono e refração

Emmanuel Brun, do Laboratório Europeu de Radiação Sincrotrônica, em Grenoble, na França, disse à BBC que "pelo fato de a tinta conter carbono, existem diferenças muito pequenas na posição".

Leia mais: Esqueleto intacto de 2,3 mil anos achado em tumba intriga a Grécia

"Graças ao fenômeno, que é chamado de refração, podemos ver as minúsculas diferenças no desvio da luz. E isto faz diferença", acrescentou.

Image caption Raios de fótons atingiram o antigo papiro para tentar desvendar seu conteúdo (Foto: BBC)

Cortes transversais preservados dos papiros foram colocados em um computador e os cientistas analisaram as muitas camadas internas.

Com isso eles descobriram o que estava escrito nestes rolos. Esta foi a primeira vez em quase 2 mil anos que as palavras escritas nos papiros puderam ser lidas.

Leia mais: Laser descobre 'Atlântida' perdida em selva

As ténicas modernas permitem que os cientistas consigam ler os documentos pela primeira vez desde que a erupção do Vesúvio os transformou em pedaços de carvão.

Para os estudiosos de documentos antigos, chamados de papirologistas, esta descoberta é um marco: a literatura antiga finalmente poderá ser desvendada.

O próximo passo será aplicar a técnica e descobrir o conteúdo dos famosos papiros de Herculano.

Image caption Imagens dos cortes transversais dos papiros foram analisadas em um computador (Foto: BBC)