#SalaSocial: Dupla improvisa 'assento para leitores' no metrô de SP

Direito de imagem VAGAO DOS LEITORES
Image caption Imagem de leitor com adesivo ao fundo é uma das que constam do Tumblr Vagão do Leitor

Ao lado dos tradicionais alertas de assentos preferenciais de idosos, gestantes ou deficientes, usuários do metrô de São Paulo talvez se deparem com avisos improvisados e incomuns sobre alguns bancos: "assento preferencial para leitores".

Os adesivos foram criados por dois amigos, o publicitário Fabiano Gonçalves, 26, e o estudante de publicidade Vinicius Dias, 20, em uma campanha para tentar incentivar a leitura e a interação entre leitores (e não leitores) nos vagões subterrâneos da cidade.

"A gente pega o metrô todos os dias e sempre tem gente lendo. Pensamos, por que não criar um símbolo que os una?", diz Dias à BBC Brasil.

Há cerca de dois meses, eles desenharam os adesivos, imprimiram vários (dizem já ter colado mais de 300 nos vagões), distribuíram a amigos e montaram um site para quem quiser imprimir e colar o seu (http://vagaodosleitores.tumblr.com/). "Não existe lei preferencial para leitores, mas poderia", diz a placa improvisada.

Leia mais: Grupos fazem 'correção ortográfica' em pichações e placas

Fotos dos avisos foram postadas nas redes sociais com a hashtag #vagaodosleitores. "O objetivo da ação é ganhar um vagão exclusivo para leitores, e enquanto isso não acontece nós vamos incentivando a leitura no metrô", afirma Dias, no momento lendo O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues.

"Um vagão dos leitores seria um ponto de encontro", justifica Gonçalves, fã de Fiódor Dostoiévski. "(A ideia da campanha) é fazer com que as pessoas façam da leitura um hábito de todos os lugares. Pode começar no metrô, mas não precisa se limitar a isso. E também tem a ideia da gentileza: posso ceder o meu lugar a uma pessoa que esteja lendo de pé."

Direito de imagem VagaoDosLeitores
Image caption Campanha visa estimular o hábito da leitura

Dias e Gonçalves não fizeram nenhum contato oficial com o metrô paulistano. "Fizemos para sentir a reação das pessoas, mas esperamos que o metrô abrace a ideia", dizem.

Mas a assessoria de imprensa do metrô informa que, apesar de a campanha ter ideais nobres, o órgão não encampa práticas do tipo, para não incentivar usuários a colar avisos e placas indiscriminadamente nos vagões. Por isso, os adesivos têm sido retirados.

Leia mais: No Facebook, campanha do governo é acusada de ser machista

O #vagaodosleitores já aparece em fotos postadas em redes sociais como Instagram e Twitter, ainda que timidamente.

Direito de imagem VAGAO DOS LEITORES
Image caption Tumblr ensina como imprimir e colar adesivo da campanha

Os dois amigos contam que já receberam pedidos para estender a campanha para os ônibus da cidade e até para traduzir o selo para outras línguas, para ser usado no transporte público de outros países. E se defendem: dizem que nenhum adesivo de "assento preferencial para leitores" é colado em cima dos assentos preferenciais já previstos em lei.

"Nossa iniciativa é sutil, mas poética", filosofa Gonçalves.