Palácio de Versalhes vai vetar paus de selfie

Turistas usam pau de selfie em Paris (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Em Paris, alguns museus já pensam em proibir os paus de selfie

O Palácio de Versalhes, na França, decidiu vetar os paus de selfie: seguranças do local têm pedido que os visitantes guardem os aparatos - que, acoplados em smartphones, ajudam os usuários a tirar fotos de si mesmos. Em breve, uma norma vai proibi-los oficialmente.

A direção do museu argumenta que há risco de que os paus de selfie acabem acidentalmente danificando objetos valiosos, ao ficarem próximos de obras de arte - eles podem se estender a até 1,5 metro.

Leia mais: Brinquedos que permitem 'selfies' para bebês criam dilema na Holanda

Museus parisienses ainda não tomaram uma decisão a respeito: o Louvre garante que não emitirá nenhum veto "no momento", desde que sejam respeitadas as regras do museu, informa o jornal Le Monde.

Mas, segundo a agência France Presse, os museus caminham em direção à proibição. O Centro Pompidou, por exemplo, vê o veto com bons olhos, "mas ainda não tomou uma decisão", dizem seus diretores.

'Medida preventiva'

O crescente uso dos paus de selfies tem despertado reações de outros museus do mundo.

No início de março, a Smithsonian, instituição que administra os 19 museus nacionais de Washington, proibiu oficialmente o uso dos apetrechos como "uma medida preventiva para proteger os visitantes e as coleções, sobretudo em momentos de grande fluxo de pessoas".

A proibição já está em vigor também no MoMA e no Guggenheim, de Nova York, no Museu de Belas Artes de Boston e no museu J. Paul Getty, de Los Angeles.

Na Austrália, o museu National Gallery de Camberra também decidiu pela proibição.

Leia mais: Selfies em sequestro de Sydney revoltam internautas