Democracia, 30: Foto mostra que figuras presentes na transição ainda estão em cena

Clicável
  • Aécio Neves

    ×

    Neto de Tancredo, Aécio (PSDB) começou sua carreira como assessor do avô . Após a morte de Tancredo, foi eleito deputado federal e, em 2003, tornou-se governador de Minas. Cumpriu dois mandatos e foi eleito senador. No ano passado, terminou em 2º lugar na disputa pela Presidência e é hoje um dos principais nomes da oposição.

  • José Sarney

    ×

    Ex-presidente da Arena, partido de sustentação do regime militar, Sarney (PMDB) concorreu como vice de Tancredo após um racha interno em sua sigla. Assumiu a Presidência no lugar de Tancredo e, após sua morte, concluiu o mandato. Ao sair do cargo, ocupou uma cadeira no Senado por 24 anos, tendo presidido a Casa diversas vezes.

  • Renan Calheiros

    ×

    Deputado à época da eleição de Tancredo, Renan (PMDB) foi ministro da Justiça no governo FHC e é senador desde 1995. Atual presidente da Casa, será investigado por denúncias de corrupção no âmbito da Lava-Jato. Ele nega envolvimento.

  • Tancredo Neves

    ×

    Após ocupar o cargo de primeiro-ministro e governador de MG, o político do PMDB foi eleito, em votação indireta, o primeiro presidente civil após a ditadura. Foi internado em 14 de março, um dia antes da posse, e morreu no dia 21 de abril.

  • Risoleta Neves

    ×

    Casada com Tancredo por quase 50 anos, morreu em 2003, aos 86 anos.

  • Ulysses Guimarães

    ×

    O então presidente do PMDB desistiu de concorrer à Presidência em favor de um nome mais moderado, com mais chances na eleição indireta. Presidiu a Assembleia Constituinte de 1988 e concorreu à Presidência em 1989, mas não se elegeu. Morreu em um acidente aéreo em 1992.

A volta da democracia completa 30 anos neste domingo - e os mesmos personagens que protagonizam a política atualmente já estavam em cena naquela época.

Uma foto do dia da vitória de Tancredo, em 15 de janeiro de 1985, dá uma ideia disso. Nela, estão presentes Aécio Neves (PSDB), Renan Calheiros (PMDB) e José Sarney (PMDB).

Este último acabou assumindo o governo, em 15 de março de 1985, após Tancredo adoecer um dia antes da posse.

Sarney governou até 1990, em um período marcado por crise econômica e hiperinflação.

E não saiu de cena após o término do mandato: foi senador por 24 anos e seu grupo político foi hegemônico no Maranhão por cerca de cinco décadas.

Leia mais: Democracia, 30 anos: Sarney se diz injustiçado sobre papel na transição

Renan também é figura tarimbada do Congresso. Senador desde 1995 e atual presidente do Senado, ganhou as manchetes recentemente ao ser listado entre os políticos que serão investigados por suspeita de envolvimento em corrupção no âmbito da Operação Lava Jato. Ele nega as acusações.

Aécio, neto de Tancredo, foi assessor do avô e deputado após sua morte. Governou o Estado de Minas Gerais por dois mandatos e hoje o senador é um dos principais nomes do PSDB e da oposição - perdeu a eleição presidencial em 2014 por margem estreita.

Morto em 1992, Ulysses Guimarães foi um dos articuladores da chapa mista entre Tancredo e Sarney - político experiente, via na coligação maiores chances na eleição indireta. Após a volta da democracia, Ulysses presidiu a Assembleia Constituinte em 1988.

Na foto também aparecem o próprio Tancredo, morto em 21 de abril de 1985, e sua mulher, Risoleta.

Notícias relacionadas