Cúpula das Américas começa com cumprimento entre Obama e Castro

Credito: AFP/Presidencia Panama Direito de imagem AFP PHOTO PRESIDENCIA PANAMA
Image caption Presidentes terão reunião histórica neste sábado

Os presidentes dos EUA, Barack Obama, e de Cuba, Raúl Castro, se cumprimentaram no Panamá na noite desta sexta-feira, num momento em que os dois países se preparam para uma reunião histórica e tentam reatar seus laços diplomáticos.

O encontro ocorreu durante a Cúpula das Américas, da qual Cuba participa pela primeira vez.

Fotos divulgadas pelos governos panamenho e peruano mostram os dois líderes conversando ao lado do presidente equatoriano, Rafael Correa, na cerimônia de abertura da cúpula.

Um porta-voz da Casa Branca descreveu o encontro como "informal", sem que tenha havido "uma conversa substancial entre os dois líderes". Os dois presidentes já haviam estado juntos em dezembro de 2013, no funeral de Nelson Mandela, na África do Sul.

Em discurso também nesta sexta, Obama afirmou que "já se acabaram os dias em que nossa agenda no hemisfério davam por certo que os EUA poderiam se intrometer impunemente (na América Latina)".

Leia mais: Estreante em cúpula, Cuba faz ofensiva a empresários

Leia mais: O que Che Guevara diria sobre a reaproximação EUA-Cuba

Leia mais: EUA facilitam comércio e viagens a Cuba

Direito de imagem AFP
Image caption Reaproximação entre os dois países dominará as atenções da Cúpula das Américas

Obama e Castro se encontrarão neste sábado para a primeira reunião formal de um presidente em exercício americano com um colega cubano desde que Dwight Eisenhower se sentou com Fulgencio Batista em 1958. Daí o caráter histórico do encontro.

Obama afirmou que os EUA estão abrindo um novo capítulo em suas relações com Cuba.

"Esperamos criar um ambiente que melhore a vida do povo cubano", disse o americano. "Não porque isso seja imposto por nós, os EUA, mas através do talento, da engenhosidade e das aspirações (cubanas)."

A reaproximação histórica entre os dois rivais deve dominar as atenções na Cúpula das Américas, quatro meses depois de Washington e Havana terem anunciado os primeiros passos da dos esforços para reatar laços diplomáticos e comerciais.