Marta é candidata a prêmio da BBC de melhor jogadora de futebol do ano

Foto: BBC
Image caption Torcedores de todo o mundo poderão escolher a jogadora que a BBC premiará no dia 26 de maio

A brasileira Marta é uma das cinco candidatas a melhor jogadora de futebol do ano na inédita premiação criada pela BBC em 2015 – o BBC Women's Footballer of the Year Award (Prêmio BBC de Melhor Jogadora do Ano).

Torcedores de todo o mundo poderão votar em uma delas a partir deste domingo.

Esse é o primeiro prêmio dedicado ao futebol feminino organizado por uma emissora internacional. A modalidade já tem uma premiação anual organizada pela Fifa que, desde 2001, elege a melhor jogadora do ano – Marta é a maior vencedora, com cinco troféus, de 2006 a 2010.

Leia mais: Como sutiã adaptado de cuecas modificou o esporte feminino

A votação estará aberta até o dia 11 de maio. A ganhadora será anunciada no dia 26 de maio em uma edição ao vivo do programa Sport Today, no canal de TV a cabo BBC World News (disponível no Brasil na NET e na Sky).

Um grupo de especialistas – incluindo dirigentes, jornalistas, técnicos(as) e ex-jogadoras – escolheu as representantes do melhor do futebol feminino em 2014: além de Marta, a espanhola Verónica Boquete, a escocesa Kim Little, a alemã Nadine Kessler e a nigeriana Asisat Oshoala.

As cinco candidatas foram selecionadas segundo sua habilidade técnica, impacto no time e/ou resultados em seu país, consistência, melhoria no nível da performance, trabalho em equipe e fairplay.

Leia mais: Blog do Julio Gomes: Champions League tem semifinais mais 'pesadas' da história

Agora, a vencedora será escolhida pelo voto do público. Para votar, visite o site http://www.bbc.co.uk/sport/football/womens/wfoty-vote/2015.

Também é possível votar por SMS, enviando uma mensagem para +44 7786 20 20 04 (as mensagens de texto internacionais serão cobradas de acordo com cada operadora) com o número de sua jogadora predileta – 1 para Verónica Boquete; 2 para Nadine Kessler; 3 para Kim Little, 4 para Marta e 5 para Asisat Oshoala.

Conheça as cinco jogadoras candidatas ao prêmio:

Verónica Boquete (Espanha e Frankfurt)

Direito de imagem Getty
Image caption A atuação da meia foi chave para a classificação da seleção espanhola na Copa do Mundo

A meia-atacante de 27 anos foi capitã do time espanhol, que se classificou para a Copa do Mundo feminina pela primeira vez.

Dinâmica e com talento para marcar gols – ela fez 29 em 42 partidas –, Boquete foi a jogadora mais importante da equipe.

Ela chamou a atenção do mundo em 2011, quando estava no time americano Philadelphia Independence e levou sua equipe até a final, ganhando o prêmio de jogadora do ano. Em 2012, ela jogou junto com Marta no time sueco Tyresö FF.

Leia mais: Ciência identifica atividades físicas que mais ajudam o cérebro

A espanhola também é conhecida como a mulher que, em 2013, criou uma petição para que jogadoras de futebol fossem incluídas na série de jogos de videogame da Fifa. A petição conseguiu 20 mil assinaturas em 24 horas.

Estou muito, muito feliz - isso significa que eu fiz um bom trabalho no ano passado. É mais uma motivação para o futuro."

Veronica Boquete, da Espanha, sobre sua indicação ao prêmio BBC Women’s Footballer Of The Year
Getty

Marta (Brasil e FC Rosengard)

Direito de imagem Getty
Image caption Marta é uma das jogadoras de futebol mais bem-sucedidas e premiadas do mundo

Provavelmente o nome mais famoso do futebol feminino mundial, a atacante brasileira Marta Vieira da Silva, de 29 anos, continua em sua potência máxima.

Ela foi eleita a melhor futebolista do mundo por cinco vezes consecutivas, um recorde entre homens e mulheres, e foi a primeira mulher a entrar na calçada da fama no Maracanã.

Leia mais: Francês vítima de racismo pede prisão de torcedores

Os superlativos são o forte da jogadora: ela foi artilheira de nove campeonatos dos quais participou.

Em 2014, Marta venceu o campeonato sueco – pela sexta vez – e chegou até a final da Champions League feminina.

Já me sinto vitoriosa por estar entre as cinco finalistas. É muito especial porque você está sendo julgada pelos torcedores que te acompanham."

Marta, do Brasil, sobre sua indicação ao prêmio BBC Women's Footballer Of The Year
Getty

Kim Little (Escócia e Seattle Reign)

Direito de imagem Getty
Image caption Apesar do talento de Little, seleção escocesa não conseguiu se classificar para a Copa 2015

Little teve uma excelente performance no ano passado na Liga Americana de Futebol Feminino, em que joga como meia-atacante.

Além de ter sido a principal artilheira, com o recorde de 16 gols, ela foi escolhida como melhor jogadora do mês três vezes e também foi eleita a melhor jogadora da liga durante a temporada em que seu time, o Seattle Reign, chegou até a final antes de perder para o Kansas.

Leia mais: No futebol inglês, Balotelli é maior alvo de ofensas discriminatórias nas redes sociais

Apesar de ter apenas 24 anos, Little é jogadora profissional desde 2006 – quando tinha 16 anos – e foi eleita a jogadora do ano pela Associação de Futebolistas Profissionais em 2013.

A decepção da craque, no entanto, veio quando a seleção escocesa não conseguiu se classificar para a Copa do Mundo de Futebol Feminino 2015, no Canadá.

Dada a competitividade e a quantidade de grandes jogadoras que há em todo o mundo, fico muito feliz de ser reconhecida.”

Kim Little, da Escócia, sobre sua indicação ao prêmio BBC Women’s Footballer Of The Year
Getty

Nadine Kessler (Alemanha e Wolfsburg)

Direito de imagem Getty
Image caption Por causa de lesões, principal craque da seleção alemã ainda não sabe se poderá participar do campeonato mundial

É difícil pensar em algum prêmio do futebol feminino que Kessler, capitã de um dos times mais bem sucedidos da Europa e principal craque da seleção alemã, não tenha ganho – em geral, mais de uma vez.

A meia de 27 anos liderou o time alemão Wolfsburg na conquista dos títulos da Bundesliga feminina e da Champions League feminina no ano passado. Os triunfos adicionaram mais um troféu a sua coleção: o prêmio de Futebolista do Ano da Fifa em 2015, sucedendo sua colega alemã Nadine Angerer.

"Eu queria jogar meu futebol, ser bem sucedida e dar o meu melhor. Mas como sempre digo, nunca sonhei que conseguiria algo assim", disse, ao vencer o prêmio da Fifa.

Lesões recentes, no entanto, deixaram incerta a participação de Kessler na Copa do Mundo 2015.

É um prêmio especial... para nós, jogadoras, o apoio dos torcedores é muito importante. É por isso que, na Alemanha, dizemos que eles são o 12º jogador."

Nadine Kessler, da Alemanha, sobre sua indicação ao prêmio BBC Women’s Footballer Of The Year
Getty

Asisat Oshoala (Nigéria e Liverpool)

Direito de imagem Getty
Image caption Talento da nigeriana fez com que ela recebesse uma das maiores condecorações do país

Dona de um futebol excitante e explosivo, Asisat Oshoala, de apenas 20 anos, é a primeira jogadora africana a competir na Women's Super League, o campeonato de futebol feminino mais importante da Inglaterra.

Vencedora dos prêmios de melhor jogadora africana e melhor jogadora jovem de 2014, ela deixou o time nigeriano Rivers Angels epara se juntar ao Liverpool, campeão inglês atual.

A fama da nigeriana no campo lhe rendeu o apelido de "Seedorf", uma referência ao holandês Clarence Seedorf, o único jogador a vencer a Champions League com três times diferentes e escolhido por Pelé para fazer parte da lista da Fifa de 100 maiores futebolistas vivos.

Oshoala, enquanto isso, vai trilhando seu próprio caminho de sucesso. No ano passado, ela foi eleita a jogadora do ano da final da Copa do Mundo Sub-20 e ajudou a classificar a Nigéria para a Copa 2015.

No meio do caminho, ainda teve tempo de receber a medalha de Oficial da Ordem do Níger – uma das principais condecorações do país – das mãos do então presidente nigeriano Goodluck Jonathan.

Este prêmio é muito bom para o futebol feminino – ele pode nos ajudar estimulando outros países a apoiar suas jogadoras e a tratá-las como tratam os homens."

Asisat Oshoala, da Nigéria, sobre sua indicação ao prêmio BBC Women’s Footballer Of The Year
Getty

Notícias relacionadas