Após dia de violência, Baltimore vive toque de recolher

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Um toque de recolher foi imposto na noite desta segunda-feira na cidade americana de Baltimore, em meio a violentos protestos decorrentes da morte de um homem ferido enquanto estava sob custódia da polícia.

Imagens aéreas noturnas mostravam diversos prédios do centro da cidade (a cerca de 60 km de Washington) em chamas. Mais cedo, dezenas de pessoas entraram em confronto com a polícia, e 15 policiais ficaram feridos e 27 pessoas foram detidas.

Houve também saques em lojas e destruição de viaturas policiais. Escolas e estações de trem fecharam suas portas, e eventos esportivos foram cancelados.

O governo de Maryland, onde fica Baltimore, declarou estado de emergência e pediu ajuda à Guarda Nacional diante do recrudescimento da violência.

A violência eclodiu horas depois do funeral de Freddie Gray, jovem negro de 25 anos que havia sido preso em 12 de abril ao fugir da polícia. Ele levava consigo um canivete e foi colocado dentro de um camburão policial, mas sofreu uma lesão na espinha e morreu uma semana depois.

Leia mais: Projeto 'o que é ser branco' inflama debate sobre racismo nos EUA

As circunstâncias em que ele se feriu estão sendo investigadas pelo Departamento de Justiça. Por enquanto, seis policiais foram suspensos.

A prefeita de Baltimore, Stephanie Rawlings-Blake, disse que há uma diferença entre "protestos pacíficos dos que clamam por justiça" e "bandidos que querem incitar a violência".

Direito de imagem AP
Image caption Confrontos ocorreram após funeral de jovem negro
Direito de imagem GETTY
Image caption Violência levou ao decreto de estado de emergência

"Estamos empregando todos os recursos possíveis para controlar a situação", afirmou.

Ela ordenou um toque de recolher, durante uma semana, das 22h às 5h.

Mais cedo, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que seu governo oferecerá a assitência necessária a Baltimore.

Leia mais: EUA: Confrontos se espalham após júri liberar policial que matou jovem negro E o governador Larry Hogan emitiu uma ordem executiva para "proteger as vidas e a propriedade dos cidadãos impactados por esta emergência pública".

Violência policial

Os confrontos desta segunda-feira foram os mais violentos nos país desde os distúrbios ocorridos em Ferguson, no Estado americano do Missouri, no ano passado, também decorrentes da morte de um jovem negro, Michael Brown, pela polícia.

O episódio traz novamente à tona o debate sobre a violência policial nos EUA, ante diversos casos de homens negros que morreram após algum tipo de contato com policiais.

Direito de imagem EPA
Image caption Tensão eclodiu após um fim de semana de protestos

Baltimore também é conhecida pelos altos índices de criminalidade. Um comunicado emitido nesta segunda-feira pela polícia local afirmava que a Unidade de Inteligência Criminal da Corporação havia identificado que "membros de diversas gangues haviam se juntado" para atacar policiais.

A tensão eclodiu na cidade após um fim de semana intenso de protestos, nos quais 34 pessoas foram detidas.