Cidade histórica síria pode estar na mira do 'Estado Islâmico'

Palmira Direito de imagem AFP
Image caption A cidade foi fundada há pelo menos quatro mil anos

Palmira, uma das joias arqueológicas do Oriente Médio, pode ser a próxima "vítima" das depredações do grupo extremista muçulmano "Estado Islâmico".

Militantes ocuparam partes da cidade vizinha de Tadmur na quinta-feira, mas seus avanços posteriores foram contidos pelo exército da Síria.

Leia mais: Estado Islâmico fatura vendendo relíquias a colecionadores ocidentais, dizem especialistas

Direito de imagem AFP
Image caption Militantes do Estado Islâmico podem ter avançado para muito perto de Palmira

O responsável pelo departamento de patrimônio histórico da Síria, Maamoun Abdul Karim, disse que se o "EI" tomar Palmira, tombada pela Unesco como patrimônio histórico, a cidade será destruída.

Decapitações

Extremistas já destruíram relíquias em vários locais do Iraque, em especial Mosul, Hatra e Nimrud.

Direito de imagem Getty
Image caption Autoridades sírias temem que militantes depredem as ruínas históricas da cidade

Palmira sofreu danos durante os quatro anos de guerra civil na Síria. Fundada há pelo menos 4 mil anos, a cidade fica numa área estratégica para o "EI", entre Damasco e a cidade de Deir Al-Zour, disputada por forças sírias e pelos militantes. Palmira também fica próxima a campos de exploração de gás natural.

Leia mais: Seis gráficos explicam guerra contra 'Estado Islâmico'

Na quinta-feira, o grupo Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que militantes do "EI" estavam preparando um assalto a Tadmur, bem próxima às ruínas de Palmira.

Direito de imagem Getty
Image caption A cidade sofreu alguns danos nos quatro anos de guerra civil Síria

Militantes teriam matado 26 pessoas numa aldeia nas cercanias de Tadmur - 10 deles por decapitação -, sob a acusação de que eles eram simpáticos ao regime do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Usando uma conta no Twitter, o "EI" disse ter ocupado partes do norte e do leste de Tadmur.

Localizada no meio do deserto e próxima a um oásis, Palmira contém as monumentais ruínas de uma cidade que foi um dia um dos mais importantes centros culturais do mundo, segundo a Unesco - órgão das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Notícias relacionadas