Conheça o carro que encolhe e anda de lado

Direito de imagem Timo BirnscheinDFKI GmbH Robotics Innovation Center
Image caption EO é capaz de andar de lado e girar sem sair do lugar, entre outras proezas

Olhando de fora, o EO Smart Connecting Car 2 não parece um veículo capaz de provocar uma revolução. Mas espere até ele começar a se mover.

Trata-se de carro urbano de dois lugares equipado com portas em estilo tesoura e muito vidro - um estilo que agradaria os fãs da série Jornada nas Estrelas.

O veículo usa quatro motores elétricos para deslocar seus 748 quilos a uma velocidade de até 64 quilômetros por hora.

As rodas, no entanto, são sua grande atração.

Leia mais: Australiano faz sucesso com bike elétrica radical de motor potente

Leia mais: As incríveis máquinas mutantes de 'Mad Max'

Manobras radicais

As rodas são articuladas nas extremidades dos eixos, liberando o carro para girar em torno de si mesmo sem sair do lugar.

E para o deleite de alguns motoristas que ainda sofrem com suas balizas na hora de estacionar, o EO pode virar as quatro rodas a um ângulo de 90 graus e entrar de lado em uma vaga.

A máquina também consegue a proeza de se deslocar na diagonal, ao mover todas as rodas para a mesma direção.

Para caber nas vagas mais estreitas, o EO tem um truque na manga. A parte de trás da cabine se ergue, junto com o motorista, e seus eixos se unem por baixo, fazendo o carro se encolher de 2,5 metros para 1,5 metro – mais curto do que uma Vespa.

Leia mais: Será este o ônibus do futuro?

Leia mais: Projeto finlandês é primeiro carro elétrico superpotente do mundo

Robô disfarçado

Assim como todo bom Transformer, o EO é, na realidade, um robô disfarçado.

Ele foi desenvolvido pelo Centro de Pesquisa em Inteligência Artificial da Alemanha. E, igual ao carro automático do Google, o EO é dotado de uma série de sensores – como câmeras e scanners – que transmitem a eles informações sobre o entorno em tempo real.

Conforme sua inteligência artificial for melhorando (e seus criadores asseguram que isso vai ocorrer, assim como as baterias se tornarão mais eficientes e leves), o EO vai ter a capacidade de dirigir e estacionar sozinho, além de ser capaz de ir buscar seu dono quando for chamado.

As futuras repetições do sistema de inteligência devem permitir que vários carros se unam em comboio (ou "pelotões", como preferem seus criadores) para viajar na estrada, o que permite mais eficiência de energia e segurança.

Já os motoristas, que não precisarão mais conduzir, poderão conversar uns com os outros por uma rede, ler ou comer, por exemplo.

Os pelotões também poderão incorporar módulos de carga ou veículos de apoio de recarga das baterias.

É inegável que o EO representa muitas ideias pensadas "fora da caixa".

Leia mais: O projeto alemão que pretende redimir o carro de três rodas

Leia mais: Quando teremos carros movidos a energia solar?

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Autos.