Homem é decapitado em ataque contra fábrica na França

AFP Direito de imagem AFP
Image caption A polícia francesa fechou a entrada da Air Products, que foi atacada, em Saint-Quentin-Fallavier, perto de Lyon

Um homem foi decapitado e várias pessoas ficaram feridas em um ataque contra uma fábrica perto da cidade de Lyon, na França.

O presidente do país, François Hollande, disse que o ocorrido tinha "todos os traços de um ataque terrorista".

Segundo autoridades, o ataque começou quando dois homens invadiram, de carro, uma fábrica de produtos químicos Air Products, que fica em Saint-Quentin-Fallavier. Várias explosões foram ouvidas em seguida.

O ataque ocorreu por volta das 10h no horário local (5h, horário de Brasília).

Um dos suspeitos foi preso e já vinha sendo investigado pela polícia desde 2006.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O homem decapitado foi encontrado com palavras em árabe inscritas em seu corpo; uma bandeira islâmica foi encontrada perto do local. A agência de notícias AFP relatou que as palavras em árabe foram escritas na cabeça da vítima.

Em uma entrevista coletiva em Bruxelas, onde se encontra participando de uma Cúpula da União Europeia, Hollande disse: "Não temos dúvida de que o ataque visava explodir o prédio. O ataque tem todos os traços de um ataque terrorista".

"Todos lembramos do que aconteceu antes em nosso país. Há, portanto, muita emoção envolvida (no incidente desta sexta-feira)", disse Hollande, se referindo ao ataque contra a revista Charlie Hebdo, e os outros que vieram depois, em Paris, em janeiro.

Hollande disse que deixaria a reunião da União Europeia na tarde desta sexta-feira e voltarra para a França.

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, chegou ao local do ataque e informou que o suspeito detido já tinha sido investigado entre 2006 e 2008.

Direito de imagem AP
Image caption François Hollande deve abandonar a reunião da União Europeia em Bruxelas e voltar para a França

Cazeneuve afirmou acreditar o suspeito se chamava Yacine Sali.

"Esta pessoa estava sendo investigada por radicalização, mas esta investigação não foi renovada em 2008. Ele não tinha antecedentes policiais", afirmou.

"Nossa prioridade neste momento é cuidar de nossos funcionários, que foram retirados do local", afirmou um porta-voz da Air Products.

De acordo com o jornal Le Dauphine Libere, da região onde ocorreu o ataque, um homem foi visto dirigindo um veículo, para frente e para trás, em frente do prédio da fábrica no começo da manhã desta sexta-feira.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, ordenou um aumento na segurança na região em torno de Lyon.

O ataque desta sexta-feira vem cerca de seis meses depois da série de atentados em Paris e arredores cometidos por extremistas islâmicos e que mataram 17 pessoas.

Direito de imagem BBC World Service