Acordo nuclear com o Irã pode ser fechado esta semana, diz Kerry

John Kerry Direito de imagem Reuters
Image caption Apesar de 'questões difíceis' não resolvidas, Kerry demonstrou otimismo durante reunião em Viena

Um acordo com o Irã sobre o programa nuclear do país pode ser fechado ainda nesta semana segundo o secretário de Estado americano, John Kerry.

Falando a jornalistas em Viena, na Áustria, onde o Irã está negociando com os Estados Unidos e outros cinco países, Kerry afirmou que um acordo nunca esteve tão próximo.

No entanto, o secretário de Estado americano afirmou que os dois lados não estão "onde precisamos estar em várias das questões mais difíceis".

Os negociadores têm até o dia 7 de julho para fechar o acordo.

"Se as escolhas difíceis forem feitas nos próximos dias, e feitas rapidamente, podemos fechar um acordo nesta semana", disse Kerry, acrecentando que ocorreu "progresso verdadeiro" nos últimos dias.

Kerry advertiu que os Estados Unidos estão prontos para se afastar da negociação caso "não tenhamos um acordo e se houver intransigência absoluta e falta de vontade de tratar das coisas que são importantes".

O chamado grupo P5+1, formado pelos Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, China e Rússia mais a Alemanha, quer que o Irã reduza suas atividades nucleares para garantir que o país não possa produzir uma arma nuclear.

Leia mais: Rússia libera envio de sistema de mísseis ao Irã

O Irã, por sua vez, quer o fim das sanções internacionais que prejudicaram muito a economia do país e sempre insistiu que o programa nuclear do país tem fins pacíficos.

Entre os pontos mais difíceis desta rodada de negociações estão como as sanções deverão ser suspensas e a capacidade nuclear que o Irã deverá ter permissão para manter.

'Pressão'

O ministro do Exterior da França, Laurent Fabius, afirmou que a partir de agora a questão é saber se o Irã está pronto para assumir compromissos claros em questões que ainda não foram esclarecidas.

Na sexta-feira o ministro do Exterior iraniano, Javad Zarif, já havia afirmado que o acordo estava próximo de sair e o Irã estava pronto para fechar um acordo.

Mas, em um vídeo ele também pediu pelo fim da "coerção e pressão" durante as negociações.

O líder supremo do irã, Aiatolá Ali Khamenei, que tem a palavra final sobre todas as questões de Estado iranianas, rejeitou na semana passada algumas exigências importantes do P5+1, insistindo que o Irã só vai desmontar sua infraestrutura nuclear se as sanções forem suspensas antes.

O prazo final para se chegar a um acordo amplo sobre o programa nuclear iraniano já foi estendido, pois se encerrava no dia 30 de junho.

E, uma vez que os negociadores conseguirem fechar o acordo, ele precisa ser analisado pelo Congresso americano antes de ser assinado.

Leia mais: O Congresso dos EUA pode sabotar o acordo nuclear com o Irã?