Britânico 'redescobre' irmã morta em incêndio por pertences em caixa secreta

Phillip ao lado da irmã, Claudia Toledano Direito de imagem Phillip Toledano
Image caption Na foto Polaroid, Phillip aparece ao lado da irmã, Claudia Toledano, em férias no Marrocos

Após a morte de seus pais, o artista e fotógrafo britânico Phillip Toledano encontrou, em uma caixa secreta, objetos relacionados à irmã morta 40 anos antes.

Entre os pertences, guardados na caixa pela mãe do artista, estavam brinquedos, fotografias, registros médicos, roupas, bilhetes escritos pela irmã e também documentos sobre sua morte.

Leia Também: O médico que fotografou a revolução dos anos 1960 nos Estados Unidos

Claudia Toledano morreu na década de 1970, em um incêndio, aos 7 anos de idade.

No livro When I Was Six (em tradução livre, Quando eu Tinha Seis Anos), lançado recentemente na Grã-Bretanha, Phillip Toledano reúne textos e fotografias dos objetos encontrados na caixa.

(A caixa) "era como um museu sobre minha irmã", disse Toledano à BBC. "Nunca havia visto nenhum daqueles objetos. Me permitiram vislumbrar como tinha sido o relacionamento dela com eles, o amor extraordinário que ela sentia por eles".

Leia Também: Escritora canadense lança livro que só poderá ser lido daqui a cem anos

Direito de imagem Phillip Toledano
Image caption Na caixa encontrada por Phillip Toledano, a mãe havia guardado objetos relacionados à irmã falecida

Após a morte da filha, os pais nunca mais mencionaram o nome dela.

"Não me ressinto pela forma como os meus pais lidaram com a morte de minha irmã, eles fizeram o que puderam"

"Ela meio que desapareceu das nossas vidas. Nunca mais falamos nela. Me lembro de uma vez perguntar a minha mãe se podíamos ter outro bebê, e ela começou a chorar."

Mundos Distantes

Direito de imagem Phillip Toledano
Image caption O interesse pelo espaço se tornou uma obsessão nos anos que se seguiram à morte da irmã de Phillip Toledano

O livro When I Was Six também traz imagens de paisagens espaciais. Toledano, que vive em Nova York e hoje é pai, explicou a relação dessas fotografias com a irmã morta.

Leia Também: De Anne Frank a Bridget Jones: por que somos fascinados por diários?

"Não tenho qualquer lembrança dos anos imediatamente após a morte de minha irmã, a não ser uma obsessão peculiar, um interesse que eu sentia por astronomia, planetas e espaço", disse Toledano. "Isso não é incomum em meninos de seis, sete ou oito anos de idade, mas para mim, era apenas uma forma de ficar muito longe de algo que tinha me machucado tão profundamente."

Entre os objetos guardados na caixa secreta, um dos mais tocantes é um álbum de fotografias. Em uma página, irmão e irmã aparecem juntos, sorrindo, em uma viagem da família a Casablanca, no Marrocos.

Na página oposta, se vê Phillip Toledano sozinho, rindo, pronto para participar de um dia dos esportes na escola. A foto foi tirada apenas duas semanas após a morte da irmã.

"Aquela foto me desmontou", disse Toledano em entrevista à revista Times. "Não conseguia acreditar na data. Eram duas semanas após a morte dela, e eu parecia tão normal."

Somente agora, aos 46 anos de idade, o artista voltou a falar de Claudia.

Direito de imagem Phillip Toledano
Image caption Durante décadas, as lembranças de Claudia Toledano ficaram escondidas da família
Direito de imagem Phillip Toledano
Image caption Ao encontrar as lembranças da irmã, o artista descobriu a sombra que a morte dela deixou sobre a própria vida

"Esta é a primeira vez que falo sobre ela em 40 anos. É estranho me ouvir dizer o nome dela ou simplesmente ouvir outras pessoas dizendo o nome dela."

"Fico muito emocionado. Estou me dando conta da imensa sombra que esse acontecimento (a morte da irmã) lançou sobre a minha vida."

Falando à BBC Brasil, Toledano disse, no entanto, que o esforço vale a pena.

"Não é doloroso. Também não é fácil. Mas tudo o que realmente importa nunca é fácil."

Mais informações sobre 'When I Was Six', de Phillip Toledano, neste link.