Manual de economista revela segredo do sucesso de bilionários

Barcos em Monte Carlo | Foto: Thinkstock Direito de imagem Thinkstock
Image caption Eliminar a concorrência e usar dinheiro alheio em investimentos são alguns dos truques para ganhar muito dinheiro

Nem sempre é com o suor do trabalho que empresários tornam-se magnatas. Muitas vezes, ideias inusitadas e até práticas inescrupulosas são o segredo do sucesso. É o que descobriu o economista britânico Sam Wilkin, que passou anos pesquisando as maquinações dos super-ricos e as publicou no livro Wealth Secrets of the One Percent (em tradução livre, Os Segredos da Riqueza do Um Porcento).

"Nos anos 1960, apenas cerca de 1% das empresas tinha lucros enormes. Agora, este número já é de 14%. É um crescimento assombroso", disse à BBC.

"Não estou dizendo que é fácil, mas há definitivamente um maior número de oportunidades para que alguém fique tremendamente rico."

Leia mais: Prisão de 'magnatas' tenta combater cultura de impunidade entre ricos

Wilkin fala não apenas dos que têm bastante dinheiro no banco, carros de luxo e uma casa de praia, mas daqueles que, além disso, possuem barcos e helicópteros, mansões enormes e até ilhas particulares – algo possível aos cerca de 1,6 mil bilionários do mundo, segundo a revista Forbes.

No formato de um manual de instruções para se tornar um desses bilionários, o livro explica algumas das práticas que criaram grandes fortunas – como as dos banqueiros americanos antes da crise econômica de 2008.

"É um livro sobre um assunto sério, mas que não se leva tão a sério", diz o economista.

Leia mais: A empresa que realiza desejos dos super-ricos

Confira alguns dos truques dos super-ricos, nas palavras de Sam Wilkins.

1. Escolha uma área onde você possa estabelecer um monopólio

"O melhor exemplo disso é o mexicano Carlos Slim, que foi o homem mais rico do mundo por cerca de cinco anos (hoje é o segundo bilionário do mundo, de acordo com a Forbes). Ele tinha um monopólio nas telecomunicações no México. Se você tem um monopólio, não tem concorrência então pode cobrar praticamente o que quiser pelo serviço. E foi isso o que ele fez.

Slim mostrou que, se você quer ganhar uma quantidade imensa de dinheiro, não é uma boa ideia atuar globalmente e atrair toda a concorrência mundial. O que você precisa é conseguir um mercado pequeno onde você seja o único atuante e espremê-lo bastante. Assim ele acabou sendo o homem mais rico do mundo."

Leia mais: Fortuna de super-ricos é 'incontrolável', diz pesquisador

Leia mais: Em um ano, Brasil ganhou 200 'super-ricos' com U$ 50 milhões ou mais

Direito de imagem Reuters
Image caption Mexicano Carlos Slim tornou-se homem mais rico do mundo com monopólio de telecomunicações no México

2. Corra riscos com o dinheiro dos outros

"Essa é sobre os banqueiros. Os bancos conhecidos como 'grandes demais para fracassar' puderam correr riscos pelos quais eles não tiveram realmente que pagar depois. A maioria dos negócios usa muito o dinheiro dos outros para investir, mas, nos Estados Unidos, o setor bancário sozinho tinha 45% dos lucros de toda a economia. Este é o segredo da riqueza que, em grande parte, produziu o 1%."

3. O pior lugar para fazer negócios pode ser o melhor

"O meu exemplo neste caso é Dhirubhai Ambani, o indiano que nasceu em uma aldeia de pescadores e fez com que seu filho, Mukesh, virasse o homem mais rico da Índia, e um dos mais ricos do mundo. Ele conseguiu isso não só fazendo negócios na Índia, que já é um dos lugares mais difíceis do mundo para isso, mas também o conseguiu no setor de têxteis, onde somente pequenas empresas tinham autorização para operar. E ele criou um império lá.

O que ele entendeu é que se conseguisse fazer isso apesar de todos os obstáculos, esses mesmos obstáculos impediriam que seus concorrentes crescessem e o desafiassem."

Leia mais: O mundo glamouroso dos novos super-ricos da Índia