TV Globo nega racismo em foto sobre 'diversidade' só com mulheres louras

Direito de imagem FACEBOOK GSHOW
Image caption Milhares de internautas alegaram racismo, pela ausência de negras, machismo, pelo termo "mulheres para todos os gostos" e "hipocrisia", pela aparente contradição entre a campanha #somostodosmaju e a representação majoritariamente caucasiana no balé do Faustão

Dezessete mulheres louras, brancas, de cabelos lisos se enfileiram para a foto, como um time de futebol. Diz a legenda: "O concurso 'Bailarina do Faustão' tem mostrado a diversidade da beleza da mulher brasileira. Gatas para todos os gostos".

Publicada no Facebook, a imagem gerou quase 30 mil comentários, compartilhamentos e curtidas em apenas dois dias. A maioria critica a ausência de negras na postagem que exalta a diversidade feminina - a proporção oficial de negros (pessoas que se declaram pretas ou pardas, segundo o IBGE) representa mais de metade (50,74%) da população brasileira.

Procurada pela reportagem, a TV Globo disse inicialmente desconhecer a polêmica em torno da postagem. Após o contato da BBC Brasil, a emissora afirmou, por e-mail, que "o post não reflete a totalidade das participantes do quadro".

A produção do programa afirma que "o Domingão do Faustão, assim como toda a programação da Globo, repudia qualquer tipo de preconceito" e que o objetivo do concurso "é ter um painel da mulher brasileira no corpo de balé".

Mas não foi assim que a publicação foi percebida por milhares de internautas - muitas delas mulheres negras. A opinião de uma jovem de São Paulo sobre o caso ganhou destaque na página e rendeu, sozinha, mais de 9 mil curtidas:

"Onde está a diversidade nessa foto?", diz. "Por esse motivo e outros, que quando aparece uma pessoa negra nas programações da Globo acontece todo um movimento racista, porque na verdade não são todos Maju!", conclui.

Ela se refere à sequência de comentários racistas publicados em redes sociais contra a jornalista do Jornal Nacional Maju Coutinho. Logo após o episódio, os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos criaram a campanha #somostodosmaju, em defesa da colega e contra o preconceito.

Leia mais: Governo reconhece 'racismo institucionalizado' apontado pela ONU

Leia mais: #SalaSocial: Brasileiros monitoram racistas, machistas e homofóbicos na internet

'Gatas para todos os gostos'

As críticas contra a publicação se baseiam em três eixos: alegações de racismo, pela ausência de negras na postagem, machismo, pelo termo "mulheres para todos os gostos" e "hipocrisia", por conta da aparente contradição entre a campanha #somostodosmaju e a representação majoritariamente caucasiana no balé do programa.

Questionada, a emissora não comentou as referências feitas à campanha em defesa de Maju.

Direito de imagem FACEBOOK

"Vocês só criticam, mas quando vão deixar a preguiça de lado e analisar a situação por toda (sic)? Será que vocês conseguem abrir o link e calar os dedos?", questionou a seguidora Bianca Cardoso, que defendeu publicamente a postagem. "Vocês verão que tem sim a tal diversidade, está separado em grupos, ruivas, morenas, loiras. Nos poupe", disse.

No texto sobre o concurso, publicado no site gshow (página oficial sobre a programação da TV Globo), as 60 candidatas a integrantes do balé do programa dominical aparecem divididas em cinco fotos de acordo com a tonalidade do cabelo e da pele. Das 60, apenas seis são negras. Aparecem por último na página com a legenda: "A beleza negra também está bem representada".

As fotos separadas ilustrariam o termo "gatas para todos os gostos", um dos principais alvos de críticas. A internauta Míriam Rebeca questionou: "Mulher é produto de prateleira pra ficar agradando homem consumidor?".

"Parece que tá falando de um objeto, de um pedaço de carne", escreveu Vanessa Fogaça Prateano.

A BBC Brasil levou as críticas sobre machismo à equipe de comunicação do Domingão do Faustão, mas não obteve resposta.

Confira as perguntas enviadas pela BBC Brasil e a resposta da TV Globo:

BBC Brasil:

1) Como o programa responde a estas críticas – o que quis dizer com "diversidade" e "todos os gostos"?

2) Sugerir "diversidade" em uma foto só com mulheres louras num país majoritariamente preto e pardo foi um erro? Alguma justificativa para a ausência de negras, orientais, morenas?

3) Falar em "mulheres para todos os gostos" implica, na opinião de leitores, uma postura machista. A TV concorda?

4) Há algum plano de alterar o formato do programa com as dançarinas com pouca roupa ao fundo, alvo de diversas críticas nas redes?

5) A reportagem, dentro do site gshow, mostra outros tipos de beleza: separadamente, aparecem ruivas, louras, morenas, castanhas e negras (nessa ordem). Há 6 negras em 60 mulheres, e elas estão no final do post (o percentual na população é maior que 50%). Algum comentário?

6) O comentário mais curtido (com mais de 8 mil likes) é bastante crítico e lembra da campanha #somostodosmaju. O balé do Faustão não contradiz a campanha do JN?

Equipe de Comunicação da TV Globo:

"O concurso 'Bailarina do Faustão' tem como objetivo buscar novas bailarinas para o corpo de balé do programa. Durante a competição, o que se avalia é o talento para a dança, a capacidade de comunicação, carisma, desenvoltura da participante, independente de sua etnia ou característica física. A ideia é ter um painel da mulher brasileira no corpo de balé. Como você mesmo diz, o concurso, pelo voto popular, já selecionou 12 mulheres, com grande diversidade. O 'Domingão do Faustão', assim como toda a programação da Globo repudia qualquer tipo de preconceito. O post não reflete a totalidade das participantes do quadro."

Leia mais: dos sucos ao racismo velado: o Brasil 'Para Inglês Ver'

Leia mais: 'Nega maluca, não' - Mulheres pedem fim das ‘fantasias de negras’ no carnaval

Leia mais: Artista cria 'Simpsons negros' contra racismo nos EUA