Pesquisadores identificam ossadas de primeiros colonizadores britânicos nos EUA

Direito de imagem Donald Hurlbert. Smithsonian Institution
Image caption Tecnologia de ponta foi usada para ajudar na identificação de quadro líderes de Jamestown, a primeira colônia inglesa bem sucedida no Novo Mundo

Trabalho de detetive aliado à tecnologia de ponta ajudaram cientistas americanos a identificar as ossadas de quatro líderes de Jamestown (no estado de Virgínia) - a primeira colônia inglesa bem sucedida no Novo Mundo.

A identificação dos remanescentes dos corpos, 400 anos depois da morte deles, foi anunciada nesta terça-feira pelo Instituto Smithsonian.

A pesquisa também revela detalhes da vida, da morte e da importância da religião no assentamento de Jamestown, que fica a 130 quilômetros ao sul de Washington.

Mas foram necessários dois anos de investigação e de técnicas modernas para identificar os ossos, que estavam em péssimo estado de conservação.

Os homens identificados são o reverendo Robert Hunt, o capitão Gabriel Archer, 'sir' Ferdinando Wainman e o capitão William West.

Leia mais: O que a bandeira diz sobre um país?

Eles foram figuras importantes na condução dos rumos de Jamestown entre 1607 e 1610, um período em que a colônia chegou perto do fim.

Direito de imagem James Di Loreto . Smithsonian Institution
Image caption Apenas cerca de 30% das ossadas estavam preservadas

"Foi uma época de falta de alimentos, doenças e ataques indígenas", disse James Horn, presidente da organização Jamestown Rediscovery.

"Esses homens ajudaram a estabelecer a colônia e a enfrentar os desafios impostos aos primeiros colonizadores", disse.

"Temos dois homens da primeira expedição e dois da segunda. Então, essa notícia é extremamente importante em termos de se entender o sucesso e a sobrevivência da colônia no Novo Mundo."

Pocahontas

Os corpos exumados foram encontrados em novembro de 2013 e se sabia que eram de pessoas de status na comunidade, já que estavam enterrados em uma igreja - a mesma onde ocorreu o casamento entre Pocahontas, filha de um líder indígena que ficou famosa com o filme da Disney, e o explorador britânico John Rolfe.

Leia mais: Cientistas britânicos desvendam mistério das múmias vazias

Uma combinação de arqueologia, análise de esqueletos, testes químicos, tecnologia 3-D e pesquisa genealógica tornaram possível a identificação.

Direito de imagem Donald E. Hurlbert . Smithsonian
Image caption Agora, serão feitas análises genéticas para ajudar a traçar os dependentes dos quatro homens

Apenas cerca de 30% de cada esqueleto foram recuperados.

O reverendo Hunt, o primeiro pastor anglicano da colônia, e o capitão Aarcher, eram parte da primeira expedição ao local , em 1607. Ela foi liderada pelo capitão Smith, que foi ajudado por Pocahontas.

Além deles, estavam Wainman, que é considerado o primeiro integrante da elite inglesa a ser enterrado na América, e West, que foi morto durante uma batalha com os indígenas.

Os remanescentes dos corpos foram levados para o Smithsonian's National Museum of Natural History para análise forense.

A presença de certos compostos químicos confirmaram a origem britânica dos homens, enquanto evidências de um dieta alta em proteína mostraram que eles eram de classes sociais mais altas.

Agora, serão feitas análises genéticas para ajudar a traçar os descendentes dos quatro homens.