Número de mortos em caminhão na Áustria sobe para 71; dono e motoristas são presos

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Caminhão frigorífico onde corpos foram encontrados foi retirado de entrada

A polícia da Áustria disse que os corpos de 71 pessoas foram resgatados em um caminhão abandonado perto da fronteira com a Hungria na quinta-feira.

As vítimas podem ter morrido há dois dias por sufocamento e incluem 59 homens, oito mulheres e quatro crianças, entre elas uma menina de um ou dois anos. Segundo a polícia, o grupo deve ser de imigrantes vindos da Síria.

Três pessoas foram presas - elas seriam o dono do veículo e motoristas de origem búlgara.

O caminhão foi levado a um prédio da alfândega com equipamentos de refrigeração onde equipes forenses trabalharam durante a noite para examinar os corpos.

Leia mais: Sírios inundam redes com mensagens de amor para Merkel

Hans Peter Doskozil, chefe da polícia da província de Burgenland, onde o caminhão foi encontrado, disse que o documento de viagem encontrado no veículo indica que o grupo de imigrantes era sírio.

"Nossa conclusão inicial é que, claro, eles eram refugiados, possivelmente um grupo de sírios", disse ele a repórteres.

Segundo ele, "há indicação que se trata de uma operação de tráfico de pessoas" .

'Sem ventilação'

O caminhão tinha o logotipo de uma granja localizada na Eslováquia, Hyza. A companhia de avicultura fez uma declaração afirmando que o veículo não não pertencia mais à empresa, mas os novos donos não removeram a marca.

Doskozil disse ser incomum o uso de um caminhão frigorífico por grupos que traficam pessoas.

Leia mais: Racismo contra imigrantes no Brasil é constante, diz pesquisador

Direito de imagem Reuters
Image caption Corpos de 71 pessoas foram encontrados no baú de caminhão frigorífico

"Em nossa investigação preliminar, observamos que não havia ventilação possível pelos lados do baú", disse.

O caminhão, que tem placa da Hungria, deve ter deixado Budapeste na quarta-feira de manhã. Acredita-se que o veículo estava estacionado na estrada havia pelo menos 24 horas antes da polícia encontrá-lo.

O episódio ocorre em meio a uma crise migratória na Europa, à medida que dezenas de milhares de imigrantes de países em conflito da África e Oriente Médio tentam chegar ao continente.

'Centenas de mortos'

Segundo a Organização das Nações Unidas, 2,4 mil imigrantes morreram tentando cruzar o Mediterrâneo rumo à Europa neste ano.

Mais de 300 mil tentaram fazer a travessia, disse o órgão, um aumento de cerca de 40% em relação a todo o ano de 2014. Mais de 100 mil imigrantes chegaram à Itália e outros 160 mil à Grécia.

Leia mais: Crise de imigração: Mais 3 mil resgatados na Líbia

Direito de imagem AP
Image caption Centenas de pessoas estavam em barcos que naufragaram na costa líbia; grupos tentavam cruzar Mediterrâneo e chegar à Europa
Direito de imagem AP
Image caption Equipes resgatarm 198 pessoas, incluindo este menino sírio; centenas estão desaparecidas

Em um incidente separado, centenas de pessoas podem ter morrido afogadas após dois barcos que levavam cerca de 500 imigrantes terem naufragado na costa líbia, disseram autoridades.

A primeira embarcação, que afundou na manhã de quinta-feira, levava cerca de 100 pessoas. A segunda, que naufragou depois, tinha outras 400.

Equipes de resgate já retiraram 82 corpos da água e salvaram 198 pessoas, disse Ibrahim al-Attoushi, do Crescente Vermelho. Cerca de 200 pessoas estão desaparecidas.

Os barcos afundaram após deixarem Zuwara, um grande ponto de partida na costa líbia para imigrantes que tentam cruzar o Mediterrâneo e chegar à Itália.