Equipe da Nasa vive isolada para simular vida em Marte

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Isolamento de um ano será o mais longo do tipo

Uma equipe da Nasa se mudou, em agosto, para um local inusitado: durante um ano, seis pessoas irão viver isoladas perto de um vulcão inativo no Havaí para simular o que seria a vida em Marte.

A experiência de isolamento será a mais longa do tipo já feita.

Especialistas estimam que uma missão humana ao Planeta Vermelho poderia levar de um a três anos.

Enquanto isso, os estudos sobre Marte continuam a surpreender: nesta segunda-feira, a Nasa (agência espacial americana) afirmou ter encontrado sinais concretos da presença de água no planeta vermelho - o que gera especulações sobre a possível existência de vida por ali.

Leia mais: Nasa desmente megacolisão de asteroide que destruiria EUA

A equipe vivendo em isolamento ficará em uma espécie de cúpula, sem ar ou alimentos frescos e sem privacidade.

Direito de imagem Universidade do Havai
Image caption Grupo terá que vestir roupas de astronauta para ir ao exterior
Direito de imagem AFP
Image caption Equipe tem nacionais de Alemanha, França e EUA
Direito de imagem AFP
Image caption Estrutura em que eles irão morar tem 11m de diâmetro e 6 m de altura
Image caption Objetivo é testar aspecto humano do isolamento

Para sair da estrutura em que vivem - a cúpula tem 11 metros de diâmetro e 6 metros de altura -, eles precisarão usar roupas de astronauta.

Um astrobiológo francês, um físico alemão e quatro americanos - piloto, arquiteto, jornalista e cientista de solo - integram a equipe.

Os homens e mulheres têm uma pequena cama dobrável e uma mesa em seus quartos.

Leia mais: Depois de Plutão, 6 projetos que devem revolucionar a forma como vemos o espaço

Entre os mantimentos aos quais terão acesso estão queijo em pó e conservas de atum.

Missões à Estação Espacial Internacional costumam durar seis meses. A agência espacial dos EUA realizou recentemente experiências de isolamento de quatro e oito meses de duração.

Enquanto há preocupação com os desafios técnicos e científicos da viagem, as experiências de isolamento abordam o elemento humano da exploração e problemas que surgem quando as pessoas vivem em locais apertados.

Leia mais: Stephen Hawking diz que buracos negros podem levar a universo paralelo

"Eu acho que uma das lições é que você realmente não pode evitar conflitos interpessoais. Vai acontecer durante estas missões de longa duração, mesmo com as melhores pessoas", disse Kim Binsted, pesquisador da Nasa.