Cientistas desvendam truque de planta carnívora que usa chuva para devorar formigas

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Cientistas britânicos conseguiram desvendar o truque usado por uma planta carnívora, a planta-jarro, que aproveita gotas de chuva para derrubar formigas e devorá-las.

A equipe, da Universidade de Bristol, descobriu que as gotas de chuva desencadeiam vibrações muito rápidas na folha da parte de cima da planta, que funciona como uma espécie de tampa para a parte de baixo. Esta tem formato de jarro e é onde as presas acabam caindo.

As vibrações derrubam as formigas da folha de cima para a folha em formato de jarro, onde elas serão consumidas pelos sucos digestivos da planta.

A descoberta, publicada na revista especializada PNAS, foi feita graças a câmeras especiais, que captam movimentos em alta velocidade, e laser para medir as vibrações.

Usando esses instrumentos, Ulrike Bauer, a pesquisadora que liderou o estudo, e seus colegas conseguiram registrar movimentos extremamente rápidos na folha da parte de cima, depois que ela foi atingida por uma gota de chuva.

Leia também: Chilenas desenvolvem dispositivo que usa planta para carregar celular

"Uma gota de chuva atinge a superfície (da folha) e isso faz ela se mover para baixo, rapidamente. Por causa da propriedade elástica (de mola), a folha se move até um certo ponto e então pula de volta", disse.

Image caption Diferente de outras plantas carnívoras, a N.gracilis consegue a energia para capturar as formigas a partir das gotas de chuva (Foto: Ulrike Bauer)

"Há uma oscilação, muito parecida com o que acontece quando você coloca uma régua na ponta da sua mesa e empurra a ponta para baixo com o dedo."

Novos movimentos

Esse movimento é único entre as plantas, segundo Bauer. Em parte devido à velocidade, que facilmente ultrapassa a de outras plantas carnívoras que também fazem manobras para prender insetos. E em parte por causa da forma que explora uma fonte de energia externa.

"Ter um movimento rápido em uma planta já é diferente, mas ter movimento rápido no qual a planta não precisa gastar nenhuma energia – que só requer que a planta construa a estrutura – é algo surpreendente", disse a cientista.

Image caption Os pesquisadores usaram um laser para medir a vibração da folha (Foto: Ulrike Bauer)

A descoberta coloca essa planta carnívora, a Nepenthes gracilis, em uma categoria própria: ela não se encaixa entre as plantas carnívoras "ativas", aquelas que se fecham em volta do inseto, e nem entre as carnívoras "passivas".

Um fator importante para a armadilha da planta-jarro funcionar é a rigidez da folha da parte de cima. Quando a equipe estudou outras espécies, que capturam formigas usando apenas a borda escorregadia de sua armadilha, descobriu que a folha que funcionava como tampa era mais flexível.

"A aceleração se concentra na ponta. Se você tentar saltar do meio de um trampolim, não será muito eficaz. É por isso que os atletas andam até a ponta", disse Ulrike Bauer.

Sob essa perspectiva, a folha rígida da Nepenthes gracilis está perfeitamente adaptada, pois espalha o movimento e o perigo para a presa.

Leia também: As plantas mais venenosas do planeta

Leia também: Por que só consumimos 0,06% das plantas comestíveis do planeta?