Esme e Andreas
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Doador tem encontro com garota que salvou a mais de 1000 km de distância

Um policial alemão salvou a vida de uma menina britânica que sofria de câncer ao parte de sua doar medula óssea - um tecido líquido-gelatinoso que ocupa o interior dos ossos.

Esme Clayson, que tem 7 anos e vive em Warwickshire (centro da Inglaterra), sofria de um tipo raro de leucemia e chegou a ficar em um estado muito grave.

Tanto que, em um momento em que ela estava internada na UTI, os avós foram levados para se despedir, já que as expectativas eram de que ela não sobreviveria àquela noite.

Andreas Haber é um policial de 30 anos que vive em Berlim.

Agora, ele e Esme se encontraram pela primeira vez desde o transplante de medula, em 2012.

Durante o encontro emocionado, ele disse não ter palavras para descrever a o que estava sentindo. "Não tenho palavras."

A mãe da garota mal conteve as lágrimas ao dizer que Haber salvou a vida de sua filha.

Brasil

Um registro internacional de doares de medula óssea permitiu que a família de Esme encontrasse Andreas.

No Brasil, há um sistema semelhante, chamado Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), que reúne pacientes e voluntários que queiram doar medula.

O banco de dados, ligado ao Instituto Nacional do Câncer (Inca), cruza as informações genéticas dos doadores voluntários cadastrados no REDOME com as dos pacientes que precisam do transplante.

Quando é verificada compatibilidade, a pessoa é convocada para efetivar a doação. Os riscos para o doador são poucos, geralmente associados a procedimentos que necessitam de anestesia geral.

Interessados em ser voluntário de medula óssea podem se cadastrar nos hemocentros de sua cidade.