Patrão saudita é acusado de amputar braço de doméstica e provoca crise diplomática

BBC
Image caption Kasturi Munirathinam disse que teve o braço amputado quando tentava fugir da casa de seus patrões

O Ministério das Relações Exteriores da Índia fez uma reclamação junto às autoridades da Arábia Saudita após vir à tona o relato de um ataque "brutal" contra uma indiana de 58 anos na capital saudita, Riad.

Kasturi Munirathinam teve o braço direito amputado supostamente pelo patrão quando tentava escapar da casa deles, onde trabalhava como empregada doméstica, na semana passada.

Kasturi está se recuperando no hospital. A família dela alegou que, antes de ter o braço amputado, ela estava sendo torturada pelos patrões sauditas.

As autoridades da Arábia Saudita ainda não comentaram o caso.

Mas a ministra de Relações Exteriores da Índia, Sushma Swaraj, escreveu no Twitter que o episódio é "inaceitável".

"Levamos isto para as autoridades sauditas. Nossa embaixada está em contato com a vítima. Amputar (o braço) de uma senhora indiana - estamos muito consternados com a maneira brutal como essa senhora foi tratada na Arábia Saudita", acrescentou a ministra.

Leia também: O matemático peruano que resolveu um problema de quase 300 anos

'Assédio'

A família de Kasturi Munirathinam, que vive na cidade de Chennai, sul da Índia, afirmou que os patrões dela ficaram "enfurecidos" depois que ela reclamou do "assédio" que sofria na casa onde trabalhava. A indiana trabalhava na casa havia três meses.

A família indiana agora pede uma indenização e o pagamento das despesas médicas de Kasturi.

"Desde que ela foi trabalhar com essa família, em julho, as coisas não deram mais certo. Minha mãe nem tinha permissão para conversar conosco no telefone, ela não recebia alimentação adequada e era obrigada a trabalhar tempo demais", disse o filho da indiana, S. Kumar, à BBC.

"Quando ela tentou escapar do assédio e da tortura, o braço direito dela foi amputado pela patroa. Agora minha irmã não consegue nem se sentar e fazer coisas simples sozinha, pois a coluna dela também foi ferida", alegou a irmã da vítima, S. Vijayakumari.

Ela afirmou que a irmã foi internada em Riad e está em "estado grave", acrescentando que, apesar de eles terem ficado aliviados por ela estar recebendo um bom tratamento, a família não pode arcar com as despesas.

A família de Kasturi pediu ajuda financeira ao governo do Estado indiano de Tamil Nadu e procurou o governo da Índia para garantir o retorno dela para o país.

Mensagem

A família disse ter ficado sabendo do caso por intermédio de "agenciadores" que contrataram Kasturi para trabalhar na Arábia Saudita. Eles também alegam ter recebido uma mensagem de vídeo da doméstica gravada em um celular.

O porta-voz da Chancelaria indiana, Vikas Swarup, disse ao jornal Indian Express que o país vai "continuar buscando justiça para a vítima".

"Nossa embaixada em Riad levou a questão para o Ministério de Relações Exteriores saudita e pediu por uma ação rigorosa na questão e punição severa para o responsável", afirmou.

Ele disse que a Índia está tentando realizar uma investigação independente do incidente e pediu que "uma investigação de tentativa de homicídio seja aberta contra o responsável para que ele seja punido pela lei, se for considerado culpado".

Milhares de homens e mulheres da Índia deslocam-se a países árabes todos os anos em busca de trabalho, principalmente como domésticas e operários.

Leia também: Clube que obriga babá a usar branco é alvo de investigação do MP

Leia também: Filipinas treinam empregadas domésticas para 'exportação'