Colegas doam 350 dias de férias para pai cuidar de filha com câncer

Direito de imagem Le Reveil de Neufchatel
Image caption Solidariedade dos colegas de trabalho permitiu que Jonathan Dupré cuide de sua filha doente

O francês Jonathan Dupré não tinha mais nenhum dia de férias: havia usado todos aos quais tinha direito para acompanhar sua filha Naëlle em consultas médicas.

A menina de apenas 5 anos de idade tem câncer nos rins e, em dezembro passado, passou por uma cirurgia para extrair um tumor de 13 centímetros. Depois, vieram 31 semanas de quimioterapia, em meio as quais ela teve de enfrentar também uma infecção pulmonar.

"Usei todos os meus dias de férias em exames médicos e sessões quimioterápicas", contou ele ao jornal local Le Réveilde Neufchâtel.

Leia também: Holandês passa um mês sem álcool e açúcar e mostra o que acontece com corpo

Leia também: 'Estrela bizarra' de luz incomum intriga cientistas e alimenta hipótese de vida alienígena

Mas a solidariedade de seus colegas de trabalho fez com que a situação de Dupré mudasse radicalmente. Eles decidiram doar suas férias para que Dupré pudesse cuidar de sua filha.

Com isso, ele passou a ter direito a nada menos do que 350 dias de férias.

Benefício

Dupré vive em uma pequena cidade no norte da França e trabalha na Groupe Pochet, uma fabricante de recipientes de cristal para perfumes e cosméticos de alta qualidade que tem mais de 6 mil empregados em todo o mundo.

"Meu chefe compreendeu as dificuldades que eu enfrentava e sugeriu essa ideia", contou Dupré.

Fontes no departamento de comunicação da companhia confirmaram à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC, a veracidade da história.

Leia também: Pais congelam menina de 2 anos que morreu de câncer por esperança de fazê-la renascer

Segundo Dupré, seu chefe explicou que havia uma lei que permitia aos empregados – com a permissão da empresa – a ceder dias de trabalho a um colega que tem um filho gravemente doente.

"E o departamento de recursos humanos aceitou sua proposta", disse.

Agradecido

A lei foi aprovada em maio de 2014 e estabelece que os "empregados podem renunciar a seus dias de descanso em benefício de um companheiro que tenha um filho menor de 20 anos que esteja doente".

Isso também é possível se o filho do funcionário "tem alguma deficiência ou sofreu um acidente grave e requer cuidados constantes".

Além disso, a lei estabelece que "o beneficiado pelos dias cedidos receberá salário integral durante os dias em que estará ausente".

Dupré diz estar muito agradecido pelo gesto de seus companheiros de trabalho: "É muito importante poder estar com minha filha".

Curtiu? Siga a BBC Brasil no Twitter e no Facebook