Conheça a capela ‘mais macabra’ do mundo

Direito de imagem
Image caption Capela foi erguida no século 15 sobre cemitério onde jaziam 40 mil corpos

Uma macabra capela a 80 quilômetros de Praga, na República Tcheca, oferece aos visitantes um lembrete visceral da inevitabilidade da morte.

Cada canto do Ossuário de Sedlec é imponentemente decorado com ossos de mais de 40 mil esqueletos.

Tudo começou em 1278, quando um abade da cidade fez uma peregrinação até Jerusalém e trouxe de volta um pouco de terra do local onde acredita-se que Jesus Cristo foi crucificado, e espalhou-a pelo cemitério local.

Quando a notícia do solo sagrado se espalhou pela Boêmia, o cemitério passou a ser o lugar mais popular para enterros em toda a região.

Leia mais: A curiosa origem do Dia das Bruxas

Curtiu? Siga a BBC Brasil no Facebook

Direito de imagem
Image caption Peça central no ossuário, candelabro é formado por todos os ossos encontrados no corpo humano
Direito de imagem
Image caption Entalhador local foi contratado para transformar ossadas em objetos de decoração, como este brasão

A tradição continuou por todo o século 14, quando a Peste Negra se alastrou pela Europa. Quase 30 mil vítimas da doença na área central do continente acabaram sendo enterradas lá.

As Guerras Hussitas – uma série de cruzadas católicas contra reformistas da Boêmia, entre 1419 e 1434 – também trouxeram devastação a Sedlec e à cidade vizinha de Kutná Hora. Os ataques deixaram mais de 10 mil mortos, todos sepultados no mesmo cemitério.

Paz por poucos séculos

Direito de imagem
Image caption Maioria dos cadáveres são de pessoas mortas pela Peste Negra no século 14

No século 15, muitos dos corpos foram exumados para dar lugar à construção de uma igreja gótica. Os esqueletos foram empilhados em pirâmides em um novo ossuário, localizado no subsolo do novo templo.

Ali permaneceram em paz até 1870, quando um carpinteiro e entalhador local foi contratado para fazer objetos de decoração com as ossadas.

Hoje, os ossos branqueados podem ser vistos em formações fantásticas por toda a pequena capela: de correntes de crânios decorando os corredores e cálices feitos com fêmures a um enorme brasão de família criado em homenagem aos aristocratas Schwarzenberg, que havia contratado os serviços do carpinteiro.

Mas a peça principal da capela é o enorme candelabro que incorpora pelo menos uma vez todos os ossos do corpo humano, com crânios "olhando" para fora na extremidade de cada um dos sete braços do objeto – em eterna vigília.

Leia mais: Como o vodu está ajudando a reconstruir o Haiti

Leia mais: Será que os museus de arte viraram as igrejas do século 21?

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Travel.