Invasão de gosma cor-de-rosa na costa da Noruega intriga cientistas

Foto: Roger B. Larsen, Universidade de Tromsø, Universidade do Ártico da Noruega Direito de imagem Roger B Larsen Universidade de Tromso
Image caption Pescadores descreveram a invasão da gosma como uma 'praga' (Foto: Roger B. Larsen, Universidade de Tromsø, Universidade do Ártico da Noruega)

Uma área enorme da costa norte da Noruega ficou coberta com uma gosma de coloração rosada e avermelhada.

Cientistas afirmam que provavelmente o aumento na quantidade de gosma na área se deve a um grande número de águas-vivas mortas e em processo de decomposição.

Os pescadores da região começaram a relatar a aparição do lodo no fiorde de Lyngen no final de agosto e agora eles a descrevem como uma "praga", que tem causado problemas em equipamentos usados na pesca.

Ainda não se sabe com certeza a origem do lodo colorido, mas os oceanógrafos do Instituto de Pesquisa Marinha local suspeitam que sejam águas-vivas de uma espécie comum da área.

"Provavelmente são águas-vivas mortas ou parcialmente mortas - acreditamos que seja a espécie Ctenophora Beroe. Não podemos explicar por que (a água) está assim, mas não é incomum que águas-vivas surjam em aglomerações muito densas como essas, especialmente nas profundezas do fiorde", disse a pesquisadora Tone Falkenhaug a um site de notícias local.

A gosma agora cobre uma área muito grande do fiorde.

Leia também: O que a ciência diz sobre Moisés, as dez pragas, o êxodo e a travessia do Mar Vermelho

Curtiu? Siga a BBC Brasil no Facebook

"Estamos falando em milhões de metros cúbicos", disse à emissora NRK o professor da Universidade Ártica de Tromso Roger B. Larsen. "As imagens que estamos captando com sonares e outros equipamentos são totalmente atípicas."

Ele acrescentou que a substância tem uma consistência parecida com a de margarina.

Larsen, que é especialista em pesca, contou que faz viagens anuais à região. "Nunca vi nada parecido nestes fiordes."

O oceanógrafo Jan Helge Fossa afirmou que esse tipo de proliferação é normal, mas a escala atual pode ser inédita na região - o que tem causado espanto entre pescadores.

Leia também: Adolescentes viram protagonistas em polêmica sobre escolas fechadas em SP

Direito de imagem Gunnar Saetra Instituto de Pesquisa Marinha da Noruega
Image caption Equipamentos de pesca lançados ao mar na região ficaram cobertos com a substância (Foto: Gunnar Saetra/Instituto de Pesquisa Marinha da Noruega)