Pesquisa mede 'analfabetismo financeiro' no mundo; veja as questões do teste

Foto: Thinkstock Direito de imagem Thinkstock
Image caption Brasileiros ficaram em 68º lugar em ranking de conhecimentos financeiros

Dois em cada três adultos podem ser considerados analfabetos financeiros, segundo a maior pesquisa mundial sobre esse tipo de conhecimentos realizada recentemente.

Os dados foram levantados pelo instituto de pesquisas Gallup, que entrevistou 150 mil pessoas de 148 países em 2014.

Leia também: Investigação internacional da Lava Jato avançará mais contra políticos, diz procurador

Os resultados foram divulgados no início do mês e foram analisados por especialistas do Grupo de Desenvolvimento do Banco Mundial e do Centro Global para a Excelência do Alfabetismo Financeiro da Universidade George Washington, dos Estados Unidos.

A pesquisa colocou à prova os conhecimentos dos adultos sobre quatro conceitos que seus organizadores consideravam básicos: diversificação de risco, inflação, aritmética e juros compostos.

As questões

  • Diversificação de riscos:

Suponhamos que você tenha uma quantidade de dinheiro. É mais seguro colocá-lo em um negócio, em um investimento ou em múltiplos negócios e investimentos?

Resposta certa: o melhor é diversificar em múltiplos investimentos

  • Inflação:

Suponhamos que nos próximos 10 anos os preços das coisas que você compra dobrem. Se sua renda também duplicar, você será capaz de comprar menos do que pode adquirir hoje, o mesmo ou mais do que consegue comprar hoje?

Resposta certa: o mesmo

Leia também: Menina de 8 anos luta contra raro tipo de câncer de mama nos EUA

  • Aritmética:

Suponhamos que você precise pedir emprestado R$ 100. O que é mais vantajoso: devolver R$ 105 ou R$ 100 mais 3% de juros?

Resposta certa: R$ 100 mais 3% de juros, que totalizam R$ 103

  • Juros compostos:

Imagine que você vá depositar dinheiro no banco durante dois anos e a instituição se compromete a pagar juros de 15% ao ano. O banco acrescentará em sua conta mais dinheiro no segundo ano em relação ao primeiro ou depositará a mesma quantidade nos dois anos?

Resposta certa: mais dinheiro, porque os juros do segundo ano incidirão sobre a quantia já reajustada com os juros do primeiro ano - é o que se chama de juros compostos.

Image caption Países escandinavos obtiveram os melhores desempenhos em pesquisa de conhecimentos sobre finanças

Suponhamos que você tenha R$ 100 em uma conta poupança e o banco paga 10% ano ano pelo depósito. Quanto dinheiro você terá na conta depois de cinco anos se não fizer saques: mais de R$ 150, exatamente R$ 150 ou menos de R$ 150?

Resposta certa: mais de R$ 150, justamente por causa dos juros compostos, que incidirão primeiro sobre R$ 100; depois R$ 110 e assim por diante.

Escandinávia na frente

Os resultados colocam os países escandinavos no nível mais alto de conhecimentos financeiros. Noruega, Dinamarca e Suécia obtiveram o melhor índice: 71% de respostas corretas.

Em seguida vieram Israel (68%), Canadá (68%), Reino Unido (67%), Holanda (66%) e Alemanha (66%).

Os Estados Unidos ficaram em 14º lugar na lista.

O Brasil ficou ficou em 68º lugar na lista, obtendo 35% de acertos.

Leia também: Milionários e 'viciados' em adrenalina: os empresários que se aventuram na vida e nos negócios

Entre os países que integram o G7 (grupo das nações mais industrializadas do mundo), a Itália obteve a taxa mais baixa (47%) e o Canadá, a mais alta (68%).

Em geral as nações com menos conhecimentos financeiros não as mais pobres: Somália, Afeganistão, Albânia e Iêmen.

De maneira geral, a pesquisa revela os escassos conhecimentos financeiros da população mundial.

"Inclusive nas regiões onde há mais residentes com conhecimentos financeiros, porém existe uma quantidade considerável de população analfabeta financeira, cerca de três em cada 10 pessoas em vários países escandinavos", afirmou o instituto Gallup em um comunicado.

A margem de erro da pesquisa oscilou entre 2,7% e 5,2%, com um nível de confiabilidade de 95%.