Você conhece este homem? Saiba por que fãs de Guerra nas Estrelas pagam R$ 120 por seu autógrafo

BBC
Image caption Dave Prowse interpretou Darth Vader - mas seu rosto e sua voz não aparecem no filme

Você, muito provavelmente, nunca viu o rosto dele e nem sequer ouviu sua voz. Mas, a cada dia, fãs de todo mundo pagam até R$ 120 por um autógrafo dele.

Dave Prowse é o homem que estava dentro da fantasia de Darth Vader, o grande vilão de Guerra nas Estrelas, cuja esperada sequência Star Wars: O despertar da força estreia nesta quinta-feira.

"Fico muito feliz de ser reconhecido como o maior vilão das telonas de todos os tempos. É uma grande honra. Quando fiz o filme, nem por um momento pensei que seria esta bola de neve", contou ele à BBC durante uma convenção que reuniu fãs da série em Manchester, na Inglaterra.

No evento também estavam outros atores que interpretaram personagens secundários ou figurantes na série, como um Ewok e um Stormtrooper.

Leia também: Satélite europeu disponibiliza imagens em alta resolução da Terra – encontre sua casa

Mas o autógrafo de Darth Vader vale até duas vezes mais que o dos outros.

"Em cada fim de semana, estou em um lugar novo no mundo. Tenho apresentações marcadas na América, por todo o continente - fale um lugar e estarei lá."

Mas suas frases são ditas com uma voz desconhecida para os fãs. Seu sotaque do interior foi considerado totalmente inapropriado para o senhor do mal, e sua voz foi substituída pela de James Earl Jones.

Mesmo assim, Prowse atribui o sucesso da série aos personagens interessantes - um em particular.

Direito de imagem Starwars.com
Image caption Expectativa de novo episódio da saga aumentou convenções com atores secundários

"Quando você fala sobre Star Wars, não pensa em Harrison Ford [que interpretou Han Solo], Carrie Fisher [Princesa Leia], Mark Hamill [Luke Skywalker]. Você pensa em Darth Vader", diz ele, orgulhoso.

Leia também: Os jovens que ganham fortunas jogando videogames ─ profissionalmente

"E, sendo o ator que interpretou Darth Vader, estou viajando pelo mundo para promovê-lo, o que é absolutamente maravilhoso para mim."

Convenções

A expectativa do lançamento do novo filme da série aumentou também a frequência dessas convenções.

"Já fiz 32 eventos esse ano", conta Pam Rose, que interpretou uma monstra chamada Leesub Sirln na cena da cantina no filme original.

"Já tenho 15 eventos marcados pro próximo ano e dois para 2017. As pessoas me pedem para ir a eventos e eu falo 'Marque com antecedência - dois anos de antecedência", diz ela.

Alan Flyng também está com a agenda lotada. Só nesta semana, irá à França e à Espanha.

Image caption Laurie Goode era um Stormtrooper, mas acabou fazendo outros papéis

"Às vezes vou a duas convenções em países diferentes no mesmo final de semana",

Flyng era uma espécie de faz-tudo em Star Wars: "Fui dublê de Stormtrooper, Snowtrooper, um rebelde Hoth, um técnico Hoth e qualquer outra coisa que me mandassem vestir", diz.

Ter mais de um papel, pelo visto, não foi nada incomum no filme.

Leia também: Os 10 vídeos mais populares no YouTube em 2015

Laurie Goode originalmente era um Stormtrooper, mas não ficou só nisso.

"Depois disso consegui entrar em uma fantasia de um monstro chamado Saurin e também fui um piloto", diz ele, contando que a roupa do monstro era de mulher, mas a atriz escalada passou mal e abandonou as gravações.

O traje também foi importante para Peter Roy - ele diz que só passou no teste porque coube na fantasia.

"Fiz antes a prova da roupa, e só então fui chamado para o texto. Sempre digo que só consegui o papel porque a fantasia serviu. Era um trabalho comum, eu só fiz por dinheiro. Qualquer um poderia ter feito, foi sorte", conta ele, que interpretou um mecânico rebelde no primeiro filme e foi promovido até chegar a ser o major Orlando Brit em O Retorno de Jedi.

Michael Henbury também parou na série meio por acaso.

"Eu era um Ewok" - os ursinhos que aparecem em O Retorno de Jedi- , explica ele.

Image caption Michael Henbury interpretou um ursinho Ewok

Henbury, que mede cerca de 90cm, trabalhava para a alfândega britânica nos anos 1970 quando um de seus amigos viu um anúncio pedindo que pessoas pequenas comparecessem.

"Eles ligaram para lá sem me contar e aí a equipe de produção me ligou. E foi assim que comecei", diz ele.

Depois de O Retorno de Jedi ele trabalhou em diversos outros filmes, inclusive em Harry Potter.

Mas são as convenções de Guerra nas Estrelas que preenchem sua agenda. "Fiz mais de 20 este ano. Adoro viajar, contar minhas pequenas histórias e é bom ver as pessoas sorrindo."